sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Amigos, amigos...negócios...


Futebol e Politica. Os dois universos mais controversos do dia-a-dia português. Verdadeiras comadres em submundos de corrupção, influências, verdadeiras quintas onde a lei é dobrável ao interesse de muito poucos. Pois bem, as comadres estão em vias de se zangar. O Totonegócio II, a enésima tentativa do Fisco executar as dividas dos clubes está em vias de passar à história com uma nova e súbita coragem do novo governo, que quer obrigar agora em apenas um mês recolher o que não lhe foi dado em quase 15 anos.

Não sei sinceramente quem é directamente responsabilizado, se a Liga ou a FPF como representante dos clubes, ou cada clube por si, mas que isto vai dar um Carnaval de meia-noite...ah se vai! Com um pré-anúncio de greve nos campeonatos profissionais à porta, o governo de Passos Coelho vai ser verdadeiramente posto à prova, num campo onde sucessivos primeiros-ministros recuaram com o rabinho entre as pernas. É certo que a situação económica é bem diferente, mas o peso “politico” dos clubes mantém-se e ninguém pode afirmar prever o desfecho deste braço de ferro.

De um lado o futebol e os seus fanáticos, do outro o Governo e a grande maioria da opinião pública. No meio muitos negócios directos ou paralelos, muitas cumplicidades secretas entre políticos que usam o futebol e vice-versa. A minha pergunta é a mesma que todos fazem nesta altura: este Governo tem margem de manobra para enfrentar um lock-out à séria de uma das poucas coisas que ainda distraem a opinião pública da ruína financeira que se atravessa?

Arriscaria a dizer que, num país a sério, sim. Mas há muitos anos que não vivemos num pais a sério...

Até breve.

1 comentário:

  1. Edgar Manaca dava um bom dirigente para o Sporting!

    ResponderEliminar