quarta-feira, 30 de junho de 2010

Prémios de Junho

Ao olhar para o panorama das frases que se dizem no futebol português e porque são pérolas literalmente para os “porcos” e não para adeptos com um palmo de testa decidi atribuir mensalmente 3 prémios, 3 menções muito honrosas que visam destacar a honorabilidade do vernáculo futebolês que resiste apesar da maior parte dos seus intervenientes já ter mais do que a 4ª classe e alguns graus máximos de técnico profissional.

Prémio “Ganda Malha!” Junho de 2010

O prémio deste mês vai para o incontornável Jorge Jesus com a sua frase “…espero que esteja à altura das expectativas e das convicções”. Não estava falar de um novo jogador, nem da equipa, mas sim…do equipamento alternativo. Ganda Malha!

Prémio “Favas com chouriço” Junho de 2010

Portugal foi eliminado pela Espanha e na ressaca da derrota, um Carlos Queiroz muito confiante disse “Os adeptos têm todos os motivos para se sentirem orgulhosos”. Acho que o único português capaz de desse sentimento foi mesmo o treinador da Selecção. Todos os outros sentiram desilusão e frustração pela “pequenez” com que abordámos o jogo.


Prémio “Floribela” Junho de 2010

Paulo Sérgio é o primeiro vencedor deste prémio e estreia-se com a resposta a um jornalista que o questionou sobre o não acordo entre o Sporting e Hugo Viana “Via Hugo Viana com bons olhos”. Pois é amigo, mas esse chão não deu uvas e pode-se dizer que foi um comentário bastante dispensável.

Para o mês há mais.

Até breve.

O "mercado" dos rivais


Benfica
Vender Di Maria para contratar Jara e Gaitan dificilmente pode ser considerado um decréscimo. Na baliza Roberto é uma incógnita, mas não perder D.Luiz, Saviola, Ramirez e Coentrão é já por si uma grande conquista. Vai ser complicado manter um balneário unido e focado com Luisão e Cardozo a desejarem sair, o treinador Jesus quer fazer uma grande Liga dos Campeões, a olhar para o plantel vai ser uma promessa difícil de cumprir.

(Entradas)

Roberto – Atl.Madrid (8.5M)
F.Faria – Rio Ave (2.0M)
N.Gaitan – Boca juniors (8.3M)
F.Jara – A.Sarandi (5.5M)

Total: 24.5M

(Saídas)

DiMaria – R.Madrid (25M)
Quim – Sp.Braga (-)
Eder Luis – Vasco da Gama (Emp)
Felipe Bastos – Vasco da Gama (Emp)
U.Viscaya – Deportivo (Emp)

Total: 25M

Provável onze de inicio de época:
Roberto (ESP), Maxi (URU), Coentrão (POR). D.Luis (BRA), Luisão (BRA), Garcia (ESP), Ramirez (BRA), Gaitan (ARG), Cardoso (PAR), Jara (ARG) e Saviola (ARG)


Sp. Braga
Muitas saídas de jogadores importantes pode dar a Domingos uma dificuldade extra, a maior parte dos reforços é uma incógnita, parecem ser de uma qualidade bem inferior aos que saíram. Será uma enorme surpresa os arsenalistas passarem do 4º lugar.

(Entradas)

G.Lucas – Santos (?)
L.Salino –  Nacional Mad (-)
Echiejile – Rennes (-)
Collado – GimnasiaFC (-)
Eduardo – Botafogo (-)
H.Barbosa – FcPorto (?)
T.Sousa – Inter PA (?)
Keita – V.Setubal (?)
Leo Fortunato – Cruzeiro (Emp)

Total : ?

(Saídas)

Eduardo – B.Munique (7M)
Evaldo – Sporting (2.5M)
Kieszek – FCPorto (?)
Rodriguez – FCPorto (2M)
H.Viana – Valência (-)
Oberdam – Marítimo (-)
L.Aguiar – Din. Moscovo (-)
Alan – Sporting (2M)
Renteria – FC Porto (-)
A.Leone – S.Recife (-)
T.Pinto – V.Setubal (Emp)

Total: 13.5 M?

Provável onze de inicio de época:
Quim (POR), F.Oliveira (POR), Echiejile (NIG), Moisés (BRA), Eduardo (BRA), Madrid (ESP), Vandinho (BRA), Leandro (BRA), Mossoró (BRA), Meyong(CAM) e P.Cesar (BRA)


FC Porto
Para quem esperava (eu inclusive) grandes nomes para entrar na equipa de Vilas Boas, fica com a ideia que Pinto da Costa não está a abrir os cordões à bolsa e apenas J.Rodriguez se encaixa num perfil de titular, provavelmente não no inicio da época. O rendimento desta equipa alimentará a comparação entre a juventude ambiciosa do treinador e a experiência e rigidez de Jesualdo

(Entradas)

Kieszek – Sp.Braga (?)
Rodriguez – Sp.Braga (2M)
Kleber – Marítimo (3M)
Walter – Inter PA (3.5M)
Souza – Vasco da Gama (3.5M)
J.Rodriguez – Banfield (5M)
Sereno – Valladollid (-)

Total: 12M

(Saídas)

Nuno - ?
Valeri – Lanus (-)
Farias – Cruzeiro (4M)
Prediger – Cólon (-)
Orlando Sá – Marítimo (Emp)

Total: 4M

Provável onze de inicio de época:
Helton (BRA), A.Pereira (URU), Fucile (URU), B.Alves (POR), Rodriguez (PER), Fernando (BRA), Meireles (POR), R.Micael (POR), Hulk (BRA), Falcao (COL) e Belluschi (ARG)

Perplexidades

1- Perder é uma coisa, ser bufo e "menino" é outra. Ronaldo, considerado já o melhor jogador do mundo fez um mundial muito fraco, culpa das tácticas de Queiroz? Pode até ser, mas um capitão jamais dirá o que ele disse no final do encontro. Só prova que sendo a estrela, não deverá ser o capitão da selecção. Entregue-se essa honra e responsabilidade a Bruno Alves que parece lidar bem com isso.

2- Olhar para o futuro da Selecção e ver grande qualidade não é fácil, depois do esperado adeus de alguns jogadores influentes como Deco e Simão olhamos para os recém convocados e é difícil aguardar mais do que o fizemos neste mundial. Um bom onze futuro pode muito bem ser Patricio, Bosingwa, Coentrão, B.Alves e Pepe na defesa, M.Veloso, Meireles e Tiago no meio campo, Ronaldo e Nani nas alas com um ponta de lança que não se vislumbra (Armando Sá? Djaló?). Será um onze de algum valor se (e são muitos) Patricio se assumir como confirmação no Sporting, Pepe for colocado a central como é, M.Veloso sair para um grande clube e jogar, Tiago jogar a titular no seu clube e Nani se assumir também ele titular no M.Utd. Onde está a perplexidade? Veja-se o que a imprensa diz de um clube como o Sporting que apostou na formação e teve na sua equipa 80% de jogadores seleccionáveis para Portugal. Valerá a pena?

3- Vukcevic vale 3,8 milhões e Alan 2 milhões. Um é internacional Montenegino o outro não tem uma única internacionalização. Simon tem 24 anos (ou coisa que o valha), Alan tem 30 anos, em termos de coeficientes base para o cálculo de uma transferência estamos conversados, se ninguém vê aqui alguma disparidade, eu vejo.

4- No Sporting discute-se o salário de toda a gente, não vejo essas polémicas nos nossos rivais. A transparência é um factor positivo, mas parece que há alguns mais transparentes que outros.

5- Costinha não tem experiência como director desportivo? Que eu saiba Rui Costa também não tinha, mas aparentemente a imprensa já lhe adivinhava dons que várias dezenas de milhões de euros ajudaram a tornar realidade.

Acho que chega por agora.

Até breve

terça-feira, 29 de junho de 2010

Portugal Vs Espanha (0-1)













Resultado:
Justo. Perdemos e ainda por cima nunca jogámos olhos-nos-olhos com a Espanha. Medo de atacar e expor a defesa.

Nota Técnica para Portugal:
Nota 12 (0-20). Defendemos quase sempre bem, mas com demasiado esforço. O 2 contra 1 era bom, mas convinha ter tido mais gente a atacar. Apostámos tudo no empate...e perdemos. A ambição de Queiroz só foi até ao meio-campo. O problema foi só um, o adversário marcou um golo. Plano B? Não houve.
 
Nota Táctica para Portugal:
Nota 11 (0-20). Totalmente de marcha-atrás, a equipa posicionou-se totalmente para se "moldar" ao esquema do adversário. Quando era hora de atacar, não havia referência já que a equipa estava toda recuada. A Espanha foi insistindo calmamente até ao surgir do golo. A diferença entre o valor técnico e táctico entre os ibéricos esteve em que Portugal apesar de defender nunca pareceu mais controlador e seguro.

Destaques:
Positiva: Coentrão e Eduardo. Os únicos que vêm o seu valor aumentar depois do Mundial.
Negativa: A táctica. Queiroz desiludiu não porque perdeu mas porque teve medo de perder.

A rever:
Renovação - Queiroz anunciou uma renovação, a meio caminho recuou. Agora a Selecção deverá assistir ao adeus de vários jogadores: Deco, Liedson, Simão, R.Carvalho e P.Mendes. Por outro lado as convocatórias de alguns jogadores não pareceram fortalecer a equipa, muitas soluções na defesa e poucas no ataque.

Até breve

Tu queres ver!?

A novela continua. Alan está perto, mas ainda longe (quem me dera que Costinha esquecesse este e procurasse outro jogador) e sabendo que é um bom atleta não vejo a qualidade para os tais 2 milhões que se fala, é que com esse dinheiro existem jogadores de 30 anos bem melhores e disponíveis.

Noutro sector, Xandão é dado pela imprensa brasileira como quase quase no Sporting. Acho que é uma boa escolha, os brasileiros que conheço dizem-me que é um óptimo central, nada a ver com Néné´s ou Gladstones. Valor seguro e estável, não é de grandes exibições, mas raramente compromete e como podemos ver com Juan no escrete, isso é o fundamental.

Fica aberto 1 vaga como médio ala, um guarda-redes e um ponta de lança. Desconfio que se o dinheiro não der para mais o avançado fica para Janeiro, dando a Pongolle, Postiga e Djaló a oportunidade de mostrarem o que valem.

Deverá estar prevista a contratação de um médio centro para o caso de Moutinho ou Veloso saírem.

Assim vai a construção da equipa para 2010/11 esperemos por novidades nos próximos dias, sabendo que mais importante que as entradas, as saídas condicionarão a agenda desta e da próxima semana.

Até breve

A hora das decisões

Hoje Portugal tem sua "hora" decisiva. A Espanha é favorita, tem um onze que mete inveja a qualquer selecção e quando engrena a sua postura catalã de jogo será imparável. Queiroz tem de conseguir uma proeza para conseguir anular o triângulo Xavi, Iniesta e Villa e ainda conseguir que Ronaldo e Liedson tenham jogo para chegar à baliza espanhola. Não será fácil mas não estamos derrotados à partida. Podemos e devemos vender cara a despesa de jogo. Temos as nossas qualidades e com uma boa dinâmica colectiva temos o que é preciso para ser mais fortes que a Espanha, mais hábeis, mais concentrados.

Noutro plano, no Sporting, Paulo Sérgio começa a sua luta pelo respeito, a sua autonomia para liderar e só depois poder moldar uma equipa. Já existe matéria para trabalhar, aguarda-se o que o novo capitulo pode trazer como armas para uma longa e difícil época. Os dossiers de novas contratações estão longe de se encontrarem fechados e lê-se nas entrelinhas que o treinador leonino está ansioso por começar a colocar as peças no sitio.

Problemas como Hugo Viana parecem ter "arrefecido" a boa dinâmica que JEB e Costinha vinham a empreender junto dos adeptos e a "anunciada" dispensa de Renato Santos (que quem segue a equipa sub19 tanto aprecia) um verdadeiro quebra-cabeças de gestão de comunicação. O jovem brasileiro não se conteve em declarações e quem o pode julgar? Esperemos que a direcção técnica perca alguns preciosos minutos a pensar ou repensar o que fazer com esta verdadeira promessa.

Valdez, Petrovic, Nilton e Alan pairam sobre os jornais desportivos e se os dois primeiros são uma incógnita, os segundos geram alguma perplexidade pelos números que se denunciam. Todos queremos jogadores como Alan de leão ao peito, ninguém o quer se isso custar 2 milhões de euros. Pode-se argumentar que é um jogador experiente e que tem feito grandes épocas nos últimos 2 ou 3 anos, mas na posição onde joga só terá mais 2 épocas para poder encantar Alvalade o que é pouco pelo dinheiro que se fala. Pairam velhos fantasmas e quem vê futebol sabe que é preferível 50% do passe de uma promessa que não renderá imediatamente do que 100% da aquisição de um jogador com 30 anos.

O Sporting não precisa de uma equipa para um ano apenas, mas para várias épocas. Se se está a garantir apenas tempo para jogadores da formação amadurecerem maior é o erro, nada nos garante que os "experientes" farão grandes épocas ou que os "miúdos" que vão rodar emprestados se irão revelar de uma forma tão categórica.

Esperemos que nada se confirme e que Alan e Nilton acabem as suas carreiras a jogar bem, mas a jogar no Braga e no Guimarães.

Até breve

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Alan e Nilton

Uma coisa é dar experiência a um plantel, outra coisa é trocar um problema (excesso de juventude) por outro (demasiada experiência). Ter 2 ou 3 jogadores no onze com maturidade e grau elevado de experiência é útil, mas de que serve tantos jogadores em fim de carreira numa lógica de retorno de investimento. Os valores que se adiantam por Alan com a idade que tem são tão escandalosos como o de Pongolle com a diferença de que o francês ainda tem algumas épocas para provar o valor da transferência, ao passo que o brasileiro terá apenas uns jogos.


Até breve

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Portugal Vs Brasil (0-0)













Resultado:
Justo e muito conveniente. É que ficando em 2º lugar será bem mais provável defrontar Chile ou Suíça do que a Espanha.  

Nota Técnica para Portugal:
Nota 13 (0-20). Os jogadores interpretaram bem um esquema de jogo assente no contra-ataque, psicologicamente a goleada do amigável no Brasil foi desvanecendo e na segunda parte ficou bem evidente que podemos ombrear (com algumas cautelas) com qualquer selecção deste mundial.

Nota Táctica para Portugal:
Nota 17 (0-20). Algo presos a funções defensivas, os médios não conseguiram apoiar Ronaldo, mas este foi incansável na procura da bola e disfarçou a "solidão" que foi dando lugar a uma "vizinhança" saudável na segunda parte com Dany a surgir mais ao seu lado. Coberturas excelentes por parte de Coentrão e Ricardo Costa e boas dobras de Pepe, Tiago, P.Mendes e Meireles. Estamos a fazer crescer uma verdadeira equipa.

Destaques:
Positiva: Coentrão faz o pleno nos três jogos, desta vez acompanhado por B.Alves
Negativa: Mais uma vez, os lances de bola parada deixaram muito a desejar.

A rever:
Dany - Melhorou em relação ao primeiro jogo, mas está muito distante das exibições em particulares, deve dar lugar a Simão ou ao ponta de lança na próxima partida.

Até breve

Oportunidades


F.Aurelio (Liverpool)
Belleti (Chelsea)
Almunia (Arsenal)
W.Bouma (A.Villa)
G.Franco (W.Ham)
M.Petrov (M.City)
Benjany (M.City)

Toldo(Inter)

Ibagaza (Villareal)
Baraja (Valencia)
Pedro (Sp.Gijon)

S,Traore (Paris SG)
D.Placente (Bordéus)
F.Clerq (Ol.Lyon)

Van der Meyde (PSV)

Vinicius (Hannover 96)

Estes jogadores estão em fim de contrato ou escancaradamente à venda, não se arranjava qualquer coisinha...oh Costinha?

Até breve

Limpeza ou Revolução






















Chamem-lhe o que quiserem, mas ao olhar para o plantel que terminou a última época e se retirarmos os jogadores que vão ser vendidos, dispensados ou em vias disso, ficamos com um panorama esclarecedor.
Torna-se evidente a avaliação que foi feita e apesar das mais valias em vendas estarem todas no meio-campo (Moutinho e Veloso) é óbvio o entendimento que também é neste sector e na defesa que Costinha, P.Sergio e JEB mais concentram as mudanças.

Para a zona média, para já chegou Maniche e André Santos, faltará mais, arrisco a dizer que depois de Adrien e Pereirinha terem sido emprestados, faltará muito mais.

Para a defesa chegou Evaldo e Torsiglieri, faltará ainda alguém que substitua Tonel ou Polga (um deles sairá). A minha aposta seria Nuno Reis a quem prevejo um futuro muito grande, mas decidiram emprestá-lo o que também se entende.

Tal como o Porto, que começamos agora a ver que vai "lavar" o balneário com a esfregona de um Vilas Boas muito silencioso, o Sporting vai surgir no inicio da próxima época com muitas caras novas. É um risco, mas a verdade é que não temos nada a perder, é muito difícil piorar o que foi a prestação na liga de 2009/10.

Até breve

quinta-feira, 24 de junho de 2010

A "queda" de um Angel













De 50 milhões para 45 milhões. De 45 para 40. De 40 para 35 e de 35 para 25.  Ora aí está uma verdadeira desvalorização. A ser verdade o que consta na imprensa só falta LFV assinar o contrato, ou melhor a promoção "half price", para que o Real Madrid conte com o Angelito.

Apraz-me dizer que o serviço de "classificados" que Record e aBola andaram 2 meses a fazer ao Benfica resultou em...25 milhões e uns putos que não têm capacidade de entrar em nenhum plantel da liga espanhola (a bola e o record dizem que são grandes promessas...mais um "serviço especial para amigos").

Não me levem a mal os Benfas, até acho que 25 milhões pelo DiMaria é um enorme negócio. Mas não venham com tretas....de 50 para 25 milhões é um verdadeiro trambolhão na mesa de negociações .

Até breve.

Informação para dentro e (muito) para fora













Há coisas que caem bem. Apresentar um jogador sem que a imprensa tenha feito uma novela das negociações é coisa rara em Alvalade e sem dúvida que dá uma imagem bem mais consistente da gestão desportiva do Sporting.

As fugas de informação são instrumentos para serem usados com muita descrição e só em alguns casos pontuais em que se torna essencial criar “manobras de diversão” ou “pressionar” terceiros num qualquer negócio. No Sporting tem sido a regra o que levanta sempre a questão: os jornalistas trabalham com mais afinco nos temas leoninos?

Sendo que qualquer transferência envolve sempre 4 partes (o clube que compra, o clube que vende, o empresário do jogador e o próprio jogador) qual ou quais é que nos últimos tempos têm posto nos jornais todo e qualquer contacto que Costinha faz?

Existem várias novelas a decorrer, Nilton do Guimarães, Alan e Rodriguez do Braga, Petrovic do Partizan, Hugo Viana do Valência e Valdez do Atalanta. Em todos estes casos parece ser mais do interesse do clube vendedor e dos empresários estampar nos jornais qualquer passo à frente ou atrás nas negociações. Vamos por partes.

Nilton e Alan – P.Sergio parece ter vontade em contar com os jogadores, mas com o factor idade o Guimarães e o Braga irão tentar rentabilizar ao máximo um negócio que nunca poderá passar por grandes valores. Fica sempre bem ter um clube como o Sporting a querer o jogador, a sensação de disputa poderá valorizar o jogador num mercado “arábico” tal como já aconteceu pelos vistos com Nuno Assis. É que para o Porto e Benfica estas posições estão já garantidas.

Petrovic e Valdez – Em ambos os casos os clubes estão mesmo vendedores e Atalanta e Partizan têm se esmerado em declarações ora sim ora não sobre o que poderá acontecer ao jogador. Parece que no caso do Partizan a coisa até mete mais do que um empresário o que tem prejudicado a venda. Agora que a Sérvia está fora do Mundial pode ser que o jogador perca a paciência com os dirigentes que já o deram próximo de pelo menos de 4 clubes (Santander, Zenit, Sporting e FCPorto). Em Bergamo já se sabe que um jogador internacional de 29/30 anos não será nunca valorizável na série B e a venda é pois a única solução em cima da mesa.

Hugo Viana – Depois de ter vendido Villa e Mata, o Valência pode ter de vender Silva o que para os “inchas” valencianos deve estar a ser o verdadeiro pesadelo de início de época. Num clube com problemas financeiros, a direcção tem pouca margem de manobra a não ser comprar, o quanto antes, grandes estrelas para acalmar os ânimos da “afficion”. Para isso urge vender os excedentários, onde se enquadra como exemplo Hugo Viana. O jogador português tem um salário altíssimo e um valor de mercado muito baixo, a passagem pelo Braga abriu algum interesse mas apenas no mercado luso. É fácil de compreender que talvez só o Sporting esteja interessado em contar com o jogador (foi formado no clube e sempre fez boas épocas) e ainda é mais fácil de entender que o Braga, Guimarães ou Marítimo não têm capacidade para pagar o salário desejado pelo Hugo Viana (mesmo que muito reduzido). No Porto ou Benfica a função de médio também já tem “donos” e se houvesse algum interesse já teríamos sabido há muito tempo.

Torna-se óbvio de onde vêm tantas fugas, para que servem e que em todos os casos prejudicam os interesses do Sporting. A grande resposta que se pode dar a uma especulação é ignorá-la ou desmenti-la, vejo que Costinha tem preferido a primeira solução. No caso de Hugo Viana preferiu a segunda. Para grandes males, grandes remédios, sempre com a certeza que jogadores há muitos e o Sporting é um clube em que a maior parte estará interessada em representar. Seguindo esta premissa habituaremos bem os nossos interlocutores a não recorrer aos senhores jornalistas como ferramentas de negócio.

Até breve

Será...?

A apresentação de Torsiglieri está marcada para hoje às 20h00. Porquê horário de prime-time? Será que o argentino terá direito a companhia na apresentação? Esperemos pelos directos para saber.

Até breve

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Amigos, amigos, empréstimos para onde...

















Imaginem que tinham 20 jogadores bastante jovens, com imenso talento e cheios de vontade de provar que são bons futebolistas. Agora somem a essa imagem uns bons 10 ou 11 clubes com orçamentos em ruptura completa. Completem a receita com a necessidade dos presidentes destes clubes apresentarem novidades nos plantéis, que “emprestem” aos seus treinadores “mão-de-obra” qualificada para fazer uma boa época.

Tudo isto bem misturado com uma boa dose de diplomacia e esperteza e temos a solução ideal para dois problemas:

1 – Colocação útil para 20 jogadores ex-Sub19 do Sporting com hipótese de continuar a sua aprendizagem e valorização.
2 – Construção de um mapa de “afinidades” com 11 clubes de futebol profissional, que passarão a “respeitar” mais o Sporting e até, se for caso disso, estar ao seu lado quando chegar a altura dos grandes combates em sede da Liga.

Não é difícil e Pinto da Costa, que não tem tanta “moeda de troca” como JEB tem este ano, tem-no feito com mestria nas últimas épocas. Nesta equação entra também o grau de “simpatia” do treinador destes clubes pelo Sporting. Existem alguns treinadores que por incidentes ocorridos em outras épocas podem fazer passar um activo do Sporting um ano inteiro no banco e só quem for muito ingénuo é que imagina que a frase “só jogam os melhores” é aplicada com a inocência que ela própria demonstra.

Já me apercebi que Costinha e JEB estão a optar mais pela via estrangeira, em clubes Suíços, Belgas e Cipriotas. Parece-me ser um desperdício não fazer rodar no nosso país estes atletas. É o nosso estilo de jogo, serão mais facilmente observados e desenvolverão com mais tranquilidade uma vez que com 19 anos começar a 1ª época profissional num outro país, com outra língua e sem o suporte da família pode ser contraproducente na evolução do jogador.

Será que temos tão poucos treinadores nas equipas profissionais portuguesas que gostem e queiram os jovens jogadores do Sporting? É uma dúvida que tenho há umas boas 2 épocas quando vejo a politica de empréstimos do Sporting. Veremos para onde irão os restantes companheiros de Balde, Pereirinha, Renato Neto, Nuno Reis e Adrien.

Até breve

4º Reforço - Marco Torsiglieri

















É o central alto e com bom jogo de cabeça que se "pedia". Suplente habitual de Otamendi (grande promessa da Selecção das pampas) no Velez, este jogador ao que parece é aguerrido e com alguma técnica e chega ao Sporting para assinar por 3.3 Milhões de dólares. Não sei de facto o talento do rapaz, mas pelos comentários que li nas poucas horas do dia de hoje vamos ter muito mais público feminino a comprar Gamebox´s, esperemos que também fique bem noutras "fotografias".


Pontos fortes:
Alto, aguerrido e com bons pés.

Pontos fracos:
Passe e velocidade

O historial do jogador:

06/07 - Velez
07/08 - Talleres Cordoba (Emp)
08/09 - Velez
09/10 - Velez

Carreira clubes
4 épocas de futebol profissional, com 63 jogos, tendo apontado 1 golo.

Carreira Selecção Nacional
Nenhuma internacionalização, podendo representar Argentina e Itália uma vez que tem dupla nacionalidade.

Espero que não tenha só altura e fotogenia e seja de facto uma "voz de comando" dentro da área, o companheiro ideal de Carriço que é um central mais móvel e menos posicional na marcação.

Até breve

terça-feira, 22 de junho de 2010

O que é o futebol espéctaculo?



















Vejo muitos Sportinguistas preocupados com a qualidade do futebol que se irá assistir na próxima época. Pessoalmente não vejo muitas equipas a desenvolver em campo filosofias de jogo que "divirtam" os adeptos. O futebol (jogo jogado) evolui dentro de cada equipa e pelo que podemos apelidar de "modas". Há uns anos vigorava o "futebol ciência", com treinadores como Van Gaal a tentar  fazer evoluir uma equipa matematicamente, trabalhando até à exaustão mecanismos básicos de jogo. Há uns 5 anos, Mourinho desenha a "equipa  elástico" que basicamente é uma grelha de funções atacantes e defensivas que os jogadores interpretam em 2 ou 3 variantes conforme o adversário ou o marcador. Já ouve o "futebol total", o "catenaccio" (penso que seja assim que se escreve) e o "futebol directo" dos britânicos e nórdicos.

Na actualidade é difícil entender qual é a "moda" em vigor, mas uma coisa é certa, nenhuma contempla o chamado "futebol bonito". É um puro engano entender que um treinador "manda" a equipa aplicar trivelas, pontapés de bicicleta, saltos de peixe, toques de calcanhar em campo. Isso vem da qualidade técnica de cada jogador e do resultado no marcador.

Entendo que os adeptos do Sporting queiram ver bons jogos de futebol, com ataque continuado, grandes jogadas em que a bola passa por toda a equipa e acaba na baliza, mas isso não é compatível com a "orientação para resultados" que é a dona e senhora de 9 mandamentos da bíblia de qualquer treinador. Não o é para Ferguson, Van Gaal, Mourinho, Scolari, Dunga, Lippi e Ancelotti. Pergunto então porque raio é que Paulo Sérgio terá de se preocupar mais do que os "mestres" que actuam nos melhores palcos mundiais?

Acho que podemos pedir bons jogadores ou boas equipas, mas não podemos pedir mais do que isso. Queremos ser a equipa que joga bem, ou a equipa que vence partidas. É que a primeira costuma ficar em 2º ou 3º lugar e a segunda em primeiro.

Por mim fico satisfeito com uma equipa forte, que marque muitos golos quando possível e que vença 1-0 todos os derbys. Parafraseando Mourinho...."Bonito, bonito é ganhar pelo Sporting!"

Até breve

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Uma nova época

Alienação entre "amigos"















É hoje noticia a alienação do valor de passe de vários jogadores do Benfica. Confesso que não conheço em detalhe a forma de como este negócios funcionam, mas não é preciso ser economista para entender que embora não tenha vendido a nenhum clube direitos sobre qualquer jogador, o Benfica vende concretamente o direito a verbas de futuras transferências.

Esta é uma formula estranha, o tal  fundo "Benfica Stars" que ninguém conhece ao certo os investidores, compra à SAD benfiquista percentagens de jogadores, mais estranha se pensarmos que se o jogador não for vendido e quando faltarem 18 meses para o final do contrato, o clube tem obrigatoriamente de colocá-lo à venda ou pagar o que o fundo adiantou.

Vejo que possa ser um instrumento de adiantamento de receitas, foi-o no passado para Sporting e FCPorto, mas o Benfica está a levar este artificio bem longe, movimentando grandes receitas, ou melhor, grandes adiantamentos que terá em qualquer altura de repor ou vender o jogador pelo menos pela soma que encaixou. Esta "coragem" e confiança no valor dos jogadores e no interesse dos mercados pelos mesmos tem a meu ver um risco inultrapassável: a desvalorização do atleta.

Com tantos jogadores no fundo e com percentagens tão grandes de participações, o Benfica acredita mesmo que num futuro próximo irá conseguir uma de duas coisas: várias vendas milionárias ou uma tesouraria fortíssima capaz de "cobrir" os milhões de euros que já recebeu. Em ambos os casos é de espantar a forma de como o gestor financeiro deste fundo, o BES vai avalizando as "malas" de dinheiro que vão entrando e saindo do clube da Luz. É caso para dizer que esta relação tão simpática podia inspirar JEB a dar uma "voltinha" com os Espírito Santo e negociar como deve ser o financiamento da dívida do Sporting.

Tenho um feeling que poderia resultar.

Até breve

Portugal Vs Coreia do Norte (7-0)












Resultado:
Justo, histórico e motivante.

Nota Técnica para Portugal:
Nota 15 (0-20). Depois do 2-0 a Selecção "abriu o livro" e mostrou do que é capaz quando se liberta das amarras tácticas. Os jogadores, e muito bem, entenderam que um passe convém ser seguido de uma desmarcação. Não o kick-and-rush, mas a "velha" tabelinha que os portugueses dominam como ninguém.

Nota Táctica para Portugal:
Nota 13 (0-20). Mais ofensivo o onze, demorou a encaixar os avanços dos médios, mérito para a Coreia que nunca parou de lançar contra-ataques e remates de longe e assim evitar a subida quer dos laterais, quer dos médios mais ofensivos Meireles, Simão e Tiago.

Destaques:
Positiva: Todos com relevância para Fábio Coentrão, Tiago e Ricardo Carvalho.
Negativa: Os lances de bola parada continuam a ser inofensivos, urge escolher outros protagonistas para os cantos e livres indirectos.

A rever:
Miguel e Simão - Jogaram bem, no caso do lateral fica a dúvida se com outro tipo de adversário teria uma prestação como a que teve - adivinha-se muito melhor que P.Ferreira. No caso do extremo, parece "murcho", e mesmo com o golo, um pouco desligado da equipa

Alto e bom som
















Bem-vindo Paulo Sérgio!

Há sempre opiniões, divergências, alternativas, mas o melhor sempre é ter um rumo definido. Já não sendo primatas, o rumo que se escolhe é uma escolha inteligente e alicerçada em vários raciocínios, escolhendo sempre a melhor opção.

Ontem à noite, o treinador do Sporting apontou um rumo. Podemos concordar ou discordar, mas ele e a equipa técnica foram escolhidos para isso. Aliás é difícil argumentar com as escolhas feitas. Esperar para ver o que Stojkovic faz no Mundial para o vender, dispensar P.Silva, Caneira, vender ou Polga ou Tonel, emprestar Adrien e Pereirinha, vender Vukcevic, acertar os ponteiros de Izmailov e avisar Liedson que é para jogar onde o clube lhe disser para jogar.

Ficámos também a saber, desta vez oficialmente, que Costinha procura ainda mais um guarda-redes, dois centrais, dois extremos e um avançado centro, precisamente aquilo que eu e quase toda a gente gostaria que ele procurasse. Está assim declarada uma revolução do plantel, feita a alto e bom som, que não deixa margem para dúvidas, principalmente para os dispensados ou em vias disso.

Os jogadores anunciados como dispensáveis tem agora duas opções: procurar um clube que pague a sua transferência ou entrar em litígio com clube. Esperemos que tomem a melhor opção e ajudem o clube a gerir a sua preparação. Ao menos compensariam um pouco as miseráveis prestações que tiveram na última época.

Depois deste anúncio e com tantas vagas ainda para preencher vamos assistir a mais uma "cavalgada" de nomes na imprensa. Tenho a impressão que dos quase 60 nomes, até dia 1 de Julho, será um pulinho até aos 100, a ver se me engano.

Até breve

sexta-feira, 18 de junho de 2010

A história e a estória (continuação)

(a continuação do post anterior)

Gestão financeira

Qualquer agente económico procura o lucro, a diferença entre o que gasta ou investe e o que recebe. Um clube de futebol não terá preocupações em acumular capital per si, mas sim investir continuamente qualquer mais valia no fortalecimento da equipa. O Sporting tem, como é sabido um défice entre o que investe e o que recebe em troca e nem a venda de activos que desenvolve de raiz tem sido capaz de pagar pelos maus investimentos. No futebol português moderno apenas uma competição - a Liga dos Campeões - fornece verbas que fazem realmente diferença, podendo um clube que vá longe na competição ter na época seguinte mais margem para investir. De resto, a Liga Sagres, a Taça de Portugal ou a Taça da Liga não faz dos seus campeões um clube mais lucrativo, são portanto troféus de prestigio. Ao ficar arredado da Liga dos Campeões, o Sporting ficará sempre com um ano financeiro deficitário.

Será impensável não jogar para o título do campeonato, uma vez que não tendo importantes receitas directas, reflecte-se na venda de merchandising, na venda de Gamebox´s, na venda de bilhetes e na negociação de direitos de transmissão de jogos, além da fidelização e cotização dos sócios. É pois evidente que os resultados financeiros estão directamente ligados à prestação competitiva da equipa. Este foi o dado mais menosprezado nos últimos anos. Nas últimas épocas, criou-se a ideias na classe dirigente do Sporting que o clube podia manter-se na luta por títulos sem realizar grandes investimentos, rentabilizando apenas os recursos da sua Academia.

Como o Sporting não é o Auxerre (que não luta habitualmente por títulos) nem o Ajax dos anos 90 (que hoje em dia já não tem 90% do seu plantel com base nas suas escolas) torna-se claro que a politica de investimento tem de ser alterada. Esta a sê-lo. JEB entendeu como a esmagadora maioria, senão a totalidade, dos analistas desportivos que o clube precisa de canalizar verbas significativas na aquisição de activos deixando sempre em aberto a possibilidade de rentabilizar talentos extraordinários oriundos da Academia.

O Ajax pode ser um bom exemplo do falhanço da ideologia "caseira" ou "canterista" no futebol. Na década de 90 o clube holandês recebeu na sua equipa uma quantidade anormal de grandes talentos formados nas escolas (Kluivert, Van den Saar, Bergkaamp, Witschge, Davids, Overmars, Seedorf, De Boer, Reiziger, etc) e de facto pareceu resultar a formula. O pior foi depois de ter vendido cada talento, a sua substituição era cada vez menos convincente e tudo resultou numa hegemonia do PSV na última década, o Ajax nos últimos 14 anos venceu 3 títulos.

Penso que já saímos desta "moda" e começamos esta época a preparar o reforço efectivo da equipa invertendo a lógica de só investir o dinheiro que se tem. É um risco, o Benfica correu-o largamente e apesar de ter vencido o campeonato e estar na Liga dos Campeões vai ter de vender pelo menos 2 activos para estabilizar o valor das dívidas. Pode-se argumentar que LFV "abusou" de optimismo e deu ao clube uma equipa que ele não pode suster, mas o principio penso que está correcto.

Se eu tiver um restaurante que esteja deficitário, é mais do que certo que isso se deve a uma fraca afluência de clientes. A única forma de inverter esta situação é investir em melhorias. Um chefe de cozinha melhor, melhor mobiliário, mais publicidade. Mas se eu não tiver verbas para realizar estas operações, deixo o negócio afundar-se? Fecho as portas para não ter mais prejuízo? Esta analogia aplicada ao Sporting retira estas opções mais drásticas. Resta uma única solução: empréstimos. Sabemos que os bancos suportam com alguma paciência este risco, desde a construção dos estádios para o Euro que os Bancos são os que verdadeiramente aprovam os orçamentos para cada época.

Mas do que adianta um banco controlar a dívida do Sporting impedindo-o de realizar uma gestão que no futuro lhe permita pagar o empréstimo? Nada, sei bem que a gestão de um banco passa muito mais pela gestão a curto prazo e o pagamento de juros mas o incumprimento será bem mais grave do que todas as outras soluções. Nenhum banco quererá ser responsável por penhoras dentro de um dos 3 grandes do futebol português e sabe-se da relação estreita entre as direcções do SCP e dos Bancos nacionais.
Penso que é este o caminho que está a ser seguido e se for a bom porto o tal "novo modelo financeiro" do Sporting será uma ferramenta para melhorar o clube e não para o aprisionar.

Resumindo,  Contratações, Gestão Financeira, Politica de Comunicação e Escolha de Treinador são áreas que definiram o insucesso na última época e não basta "fechar" a época, precisamos de olhar os erros cometidos e aprender todas as lições que há para aprender, sabendo sempre que o "maior dos cegos é aquele que não quer ver".

Até breve

quinta-feira, 17 de junho de 2010

A história e a estória

Olhar para o passado nem sempre é um sintoma de saudosismo. Se a retrospectiva for realizada com o intuito de evitar erros cometidos é um óptimo exercício. A última época foi um bom exemplo do que é uma má época e era de todo conveniente não repetir os passos que ajudaram a que isso acontecesse. Começando a apontar dados concretos temos alguns factores óbvios:

Contratações

Derlei não renovou e à ultima da hora chegou um Caicedo sem ritmo, sem confiança e completamente jogado no terreno sem fazer a mínima ideia do que era o futebol português ou como jogava a equipa. No mercado de inverno voltámos a repetir a receita e vai de...mais um jogador, Pongolle, fora de forma e descrente.

A lesão de Izmailov foi coberta com Angulo também ele um jogador sem ritmo e zero de confiança, esquecido de como se joga à bola, dava dores de alma ver o espanhol a tentar dominar a bola ou a entender-se com os colegas de equipa.

Apesar da surpresa da prestação de Carriço, confiou-se na regularidade de Tonel e Polga que parecem claramente num decréscimo de qualidades a cada ano que passa.

Patrício na baliza não está a ser rápido a pegar de estaca e o efeito Vitor Baia, Valdez, Casillas (jogadores da cantera que chegando jovens à titularidade asseguram tranquilidade e regularidade muito rapidamente) não é fácil de conseguir. As alternativas foram Tiago e R.Baptista, dois jogadores demasiado "acostumados" ao banco de suplentes.

Grimi durante o "mandato" de P.Bento foi um jogador que sempre "disfarçou" bastantes carências técnicas, mas com a equipa em crise de confiança e maus resultados a paciência dos colegas de equipa para com o seu jogo estupidamente directo era pouca ou nenhuma. Foi óbvio o entendimento de P.Bento que depois da lesão que teve iria fazer uma época. Foi ainda mais óbvio que no mercado de inverno faltou "dinheiro" para colmatar a falta de concorrência no plantel no lugar de defesa esquerdo.

Deixar a M.Veloso e Adrien a ocupação de lugar de médios defensivos foi no mínimo...fezada. Moutinho parece preferir outros papéis e a má gestão da inserção de Fernandez no onze titular "obrigou" a que as duas "jóias" principais da formação leonina tivessem tido jogos com 3 ou 4 posições diferentes. Claramente fizeram os lugares de Pereirinha, Fernandez, Vukcevic e Angulo.

Treinador

P.Bento não é um mau treinador, é um treinador excelente. Na minha opinião "gastou" todas as receitas que tinha para montar equipas com pouca quantidade de soluções e sendo ainda um técnico com poucas épocas faltou o know-how que vem com muitas épocas e várias tentativas sucedidas e mal sucedidas de resolver problemas. Também os jogadores pareciam "gastos" em tácticas rígidas que mais não faziam do que disfarçar problemas de força física e mental.

JEB de certeza que se sentiu identificado com o trabalho rigoroso e muito corajoso de P.Bento. As épocas "quase" boas anteriores fizeram-no pensar que ele próprio faria o resto que faltava. Se tivesse ouvido a massa associativa (que nem sempre é tosca e básica a ver futebol) saberia que o modelo P.Bento estava gasto e mais do assimilado pelos adversários.

Depois do "forever" veio o "never ever" Carvalhal. Uma 3ª ou 4ª escolha de recurso. Ninguém esperava que a herança de P.Bento fosse fácil de resolver e o Carlos, gajo porreiro, tentou com muito profissionalismo aturar uma massa adepta em estado de sítio e uma direcção desinteressada da restante época. A convivência com este treinador é uma grande mancha para JEB. Falta de acompanhamento, pouco envolvimento no projecto, mentidos e desmentidos...a Carvalhal JEB fez de tudo. Completamente desnecessário. A entrada de Costinha colocou o presidente noutro rumo, mas manteve o "isolamento" do treinador.


Comunicação

Falar com os sócios é a principal tarefa de Presidente e director desportivo. JEB cedo desapareceu da pele que vestiu depois da eleição. Parecia querer um estilo de "governação" mais jovem, mais descontraída, mais inspiradora. Com as derrotas desapareceram os Twitters, as mensagens optimistas, o acompanhamento afincado da equipa. P.Barbosa não é um "homem-público" e ficou P.Bento sozinho perante uma imprensa que lhe construía prego a prego, tábua a tábua, um belo caixão. Veio Sá Pinto, passámos do 8 ao 80 em uma semana, o que faltava a Barbosa, sobrava ao Sá. Todos lhe conhecem a temperatura do sangue e não soube manter a calma na hora mais complicada da equipa, na hora em que mais era preciso para pacificar os ânimos. Ficará sempre bem "defender" os adeptos, mas eu como adepto não preciso que ninguém me defenda, se eu não acreditar na equipa fico em casa. Sá Pinto deveria ter entendido que ELE é um dos responsáveis pela equipa e pela harmonia desta, o papel de provedor dos adeptos cabe a outros.
Costinha entrou e parece quer marcar um estilo mais "italiano" da função, dirá o futuro se seremos um Milan, um Inter ou uma Juventus da sua carreira.

A continuar...

Até breve

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Plantel 2010/11 (Actualização)


Guarda Redes

V.Golas (RC Massamá)
Tiago - Renovou
R.Baptista – V.Setubal (Emp)
R.Patricio
Stojkovic (Wigan) - Wigan?

Defesas

J.Pereira
Abel
P.Silva - Dispensado?
J.Gonçalves (Olhanense)
M.Silva (Sub19)
Evaldo (Sp.Braga)
A.Marques (Iraklis)
Ronny (U.Leiria) – Hertha Berlim (fim de contrato)
Grimi - Udinese?
Caneira - Dispensado?
A.Polga - Corinthians?
M.Santos (Sub19)
P.Mendes (RC Massamá)
Mexer – Portimonense (Emp)
Tonel
D.Carriço - Atl.Madrid?
N.Reis (Sub19)

Médios

Adrien - V.Setúbal (Emp)?
P.Mendes
Maniche (Livre)
M.Veloso - Inter?
A.Santos (U.Leiria) - Renovou
D.Amado (RC Massamá)
A.Martins (RC Massamá)
Moutinho - Everton?
Pereirinha - V.Setúbal (Emp)?
F.Paim (RC Massamá)
I.Rabiu (RC Massamá) fim de contrato
Renato Neto (Sub19)
Izmailov - Lokomotiv?
D.Rosado (RC Massamá)
Vukcevic - Galatasaray?
M.Fernandez
Celsinho (Portuguesa)

Avançados

Liedson
Saleiro
R.Owuso (Gil Vicente)
Pongolle
Purovic (O.Lubliana)
W.Eduardo (Portimonense)
Djalo - Newcastle?
H.Postiga
A.Zahavi (Sub19)
A.Baldé (Sub19)
R.Fonte (V.Setubal)
M.Matias (RC Massamá)

Em evolução conforme notícias.

Até breve

3º Reforço














Um namoro longo que deu frutos. 3 milhões de euros é o valor da transferência que liga o defesa ao Sporting por 4 anos com 1 de opção. É pois uma aposta grande de Costinha que reforça o plantel numa zona que há anos que depende da hesitante prestação de Grimi. Pode-se questionar o valor inflacionado de aquisição por um jogador de 28 anos, dúvida-se menos da subida de qualidade que o luso-brasileiro vai emprestar ao corredor esquerdo.


Pontos fortes:
Muito sólido a defender, rigoroso e veloz.

Pontos fracos:
Não é um mestre na arte de fazer cruzamentos, dá pouco apoio ao médio esquerdo.

O historial do jogador:

99/00 - Democrata Minas Gerais
00/01 - Cruzeiro
01/02 - América
02/03 - Paranaense
03/04 - FCPorto
04/05 - Maritimo
05/06 - Maritimo
06/07 - Maritimo
07/08 - Maritimo
08/09 - Braga
09/10 - Braga

Carreira clubes
11 épocas de futebol profissional, com 131 jogos, tendo apontado 4 golos.

Carreira Selecção Nacional
Nenhuma internacionalização, podendo representar Brasil e Portugal uma vez que tem dupla nacionalidade.

Espero que se confirme o valor de um jogador que até agora, exceptuando a passagem pelo Porto, tem vindo em crescendo de carreira.

Até breve

Benchmarketing














 Há muitos anos que as grandes empresas moldam os seus negócios pela definição de metas ambiciosas e concretas. Procuram todos os meios e estratégias para os conseguir. Mas nesta procura não se ficam apenas pelo que é convencional no mercado em que se inserem, vão muito mais além. Se resulta especificamente num meio, campo, ciência, desporto ou política pode ter parâmetros e práticas úteis para outras formas de organização competitiva ou comercial.

Nos últimos anos assistimos à grande moda dos All Blacks, equipa de râguebi da Nova Zelândia, inspiração para a construção e solidificação de equipas comerciais. De facto qualquer organização pode e deve procurar fora do seu “modelo” guias para um melhoramento de desempenho.

O futebol é rico em “Zandingas” e outras bengalas supersticiosas, mas carece de novos modelos, muito mais honestos, muito mais profissionais.

Sou fã de um desporto que também se chama futebol, nos EUA é o futebol, para nós resto do mundo é conhecido como Futebol Americano. Neste desporto, a expressão “industria de espectáculo” não chega para classificar metade da intensidade e seriedade com que a Liga Profissional e clubes encaram o seu espaço nas televisões, vendas de merchandising, comunicação externa e interna.

O país é outro e o desporto também, mas há muitas lições a tirar dos métodos de trabalho e planeamento das equipas. Quem já viu um jogo completo, que demora mais de 3 horas e nem por isso tem menos interesse e audiências, já reparou que cada equipa tem um enorme staff técnico que é composto por: Treinador principal, treinador adjunto, treinador ofensivo, treinador defensivo e um treinador na bancada munido de um ecrã de tv onde acompanha o jogo.

Esta equipa tem funções claras, perfeitamente divididas e “alimenta” constantemente o treinador principal de informações sobre todos os detalhes do jogo. Nos últimos anos é já conhecido que existem treinadores, no futebol europeu, que requerem um técnico de bancada que dá informações para o banco através de sms ou telemóvel.

Mas este post serve para chamar a atenção de outro aspecto do jogo, a definição táctica das equipas. Hoje em dia é impensável que um treinador dê apenas o posicionamento em campo à sua equipa. Isso só por si não é rigorosamente nada, uma vez que o futebolista moderno está preparado para receber muita mais informação sobre a sua movimentação em cada zona do campo, consoante o resultado, consoante as dinâmicas do adversário.

Nos anos 70, revolucionou-se o futebol, quando se entendeu que os avançados também defendem e que os defesas também atacam. A partir desse momento criaram-se nuances tão variadas que não mais um “interessado” poderia ser treinador, mas sim um verdadeiro “técnico”.

Estas nuances são cada vez mais complexas, mais elaboradas e específicas. Tanto é que uma equipa técnica de futebol profissional tem hoje, além do técnico principal, pelos menos 4 treinadores adjuntos. Parece-me no entanto que, à excepção do treinador de guarda-redes, os restantes têm funções bastante abrangentes que lidam com o estudo dos adversários e apoio a todas as decisões do treinador principal. É sem dúvida pouco, e o efeito de eco dentro dos bancos é muito e pouco útil.

Quem sabe se dividindo a estratégia e a responsabilidade técnica em cada jogo entre missões defensivas e atacantes não se rentabilizaria melhor tanta massa cinzenta que se senta no banco, convém dizer que esta divisão entre papéis não é nenhuma novidade, qualquer jogador profissional quando entra em campo sabe o que tem de fazer para atacar e para defender. Quem julga que o Real Madrid não entra dentro de campo contra um Badajoz com a missão defensiva bem planificada, está muito enganado. Esta realidade pode ser ainda melhorada, por exemplo assegurando no staff técnico treinadores ex-jogadores que interpretem bem esta função “isolada” e trabalhem nos treinos a sua componente de jogo, deixando para o treinador principal a função de supervisão táctica da combinação entre todos.

Na minha modesta opinião, é este o caminho, Mourinho sabe-o, não há magia nem truques, há muito trabalho e exactidão no estudo e desenvolvimento do jogo de uma equipa. Não é possível deixar nas mãos do “talento” a função de ganhar partidas, esse não é nem será o futebol do século XXI.

Até breve

terça-feira, 15 de junho de 2010

Portugal Vs Costa do Marfim (0 - 0)














Resultado:
Justo. Se a Costa do Marfim ganhasse não era nenhum escândalo.

Nota Técnica para Portugal:
Nota 9 (0-20). Maus passes, pouca movimentação. Defesa concentrada até aos 88 minutos, a aflição com que Portugal acabou o jogo não tinha justificação. Os africanos bem, atacaram para não terem de defender quando já não tinham pernas.

Nota Táctica para Portugal:
Nota 7 (0-20). Não assumimos o ataque continuado nem o jogo de contra-ataque. Ficámos pelo meio-campo, onde o poder atlético dos Marfinenses superou a técnica (ausente) dos "Navagadores".

Destaques:
Positiva: Fabio Coentrão, P.Mendes e Ricardo Carvalho.
Negativa: P.Ferreira, Dani e Deco

A rever:
P.Ferreira e Dani - O defesa (lento e preso na defesa) permitiu muito espaço na linha, contra adversários mais ambiciosos teria sido fatal. O médio não deu nada à equipa (passes, velocidade, desmarcações, remates).

2 º Reforço




















Parece confirmado, Maniche irá ser jogador do Sporting nas próximas duas épocas. Apesar das reticências em relação ao que o jogador pode dar a à equipa, não vale a pena minar a entrada de um futebolista antes de começar a jogar e nesse sentido vou "arrumar" as minhas criticas na gaveta do costume. Não se conhece ainda pormenores sobre a transferência e vencimento, mas do mal o menos, há novidades no plantel para 2010/11.

Pontos fortes:
Garra no meio-campo e presença na área para marcar grandes golos.
Pontos fracos:
Pouca disciplina técnica e táctica. Apresenta-se "pesado" nos inícios de época.

O historial do jogador:
 94/95 - Benfica Sub19
95/96 - Benfica 
96/97 - Alverca (emprestado)
97/98 - Alverca (emprestado)
98/99 - Alverca (emprestado)
99/00 - Benfica
00/01 - Benfica
01/02 - Benfica B
02/03 - FCPorto
03/04 - FCPorto
04/05 - FCPorto
05/06 - Din.Moscovo/Chelsea
06/07 - Atl.Madrid
07/08 - Atl.Madrid/ Inter
08/09 - Atl.Madrid
09/10 - Colónia

Carreira clubes
14 épocas de futebol profissional, com 335 jogos, tendo apontado 49 golos.

Carreira Selecção Nacional
51 internacionalizações AA e 10 jogos pelos sub21, 10 golos por Portugal

Faço votos para um final de carreira magnifico para o jogador.

Até breve

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Fantasmas de Tesouraria


















Chateia-me ter as mesmas ideias. Preocupa-me que me chateie. Fico desanimado por entender que falando da preparação da próxima época do Sporting tudo isto é...fado.
Há dois ou três anos que imprensa, adeptos e dirigentes desempenham o mesmo papel. Os adeptos deprimem-se, a imprensa aproveita e especula e a direcção encolhe os braços por detrás de um orçamento real que não "mede" a grandeza de um clube. Nos mesmos 2 ou 3 anos a falta de "criatividade" e entendimento do futebol como mercado passa claramente das secretárias "trendy" para os adeptos como "murros" no cérebro.

Torna-se óbvio que nos próximos dias vamos começar a ouvir o discurso do "o orçamento não dá para mais" que aliás só ainda não foi emitido porque os reforços do Porto e Benfica ainda não começaram a vestir as camisolas nas apresentações. Pode até ser verdade, pode não existir dinheiro, mas estamos a construir uma pescadinha de rabo na boca, ou por outras palavras, podemos ter um clube falido e deprimido que não quer sair desta situação.

O que fazer? Simples.

1- Anunciar que o clube não vende ninguém, e só vai gastar verbas com contratações se realizar alguma venda que seja irrecusável.
2- Pegar em Caneira, P.Silva, Postiga e Grimmi e avisar os empresários que têm 2 semanas para chegar propostas a sério pelos mesmos, depois do prazo, os jogadores continuam no plantel avisadamente para passar uma época fora de convocatórias. Outra solução, negociar a baixa importante da sua massa salarial conforme a qualidade da época que realizaram.
3-Emprestar já Adrien e Pereirinha ao V.Setubal.
4- Não podemos ter um terreno livre para empresários especuladores, fecha-se a porta a conversas (à espera que vá baixando) sobre Izmailov, Vukcevic, Stojkovic e Djalo. Estes só saem mediante grandes negócios.
5- Considera-se Moutinho, Veloso, Patricio e Carriço "assets" valiosos e como tal não só não estão à venda, como vão ver os seus contratos revistos e minimamente melhorados.
6- Faz-se uma aposta a sério nos bons jogadores que estão emprestados ao Real e no plantel Sub19 e dá-se o destaque a estas estrelas da casa, como se de jugoslavos ou chilenos se tratassem.

Estas medidas não serão o caminho fácil, mas são um endurecimento de estratégia. Uma comunicação de sentido espartano mas decidida. "Não há dinheiro, então isto é o que fazemos". Tal como estamos, numa comunicação "não há dinheiro e estamos a tentar mostrar que estamos empenhados em tentar talvez fazer isto" apenas ficamos todos cada vez mais frustrados com o vai e vem de nomes e sempre a pairar fantasmas de dezenas de negócios falhados com a mesma razão: o clube A teve mais dinheiro que o Sporting para contratar o jogador B. Assim realmente não vamos a lado nenhum, ou melhor, vamos exactamente para os mesmos lugares das ultimas épocas.

Até breve

Plantel 2010/11 (evolução)


Guarda Redes

V.Golas (RC Massamá)
Tiago - Renovou
R.Baptista – V.Setubal (Emp)
R.Patricio
Stojkovic (Wigan) - Wigan?

Defesas

J.Pereira
Abel
P.Silva - Dispensado?
J.Gonçalves (Olhanense)
M.Silva (Sub19)
A.Marques (Iraklis)
Ronny (U.Leiria) – Hertha Berlim (fim de contrato)
Grimi - Udinese?
Caneira - Dispensado?
A.Polga - Corinthians?
M.Santos (Sub19)
P.Mendes (RC Massamá)
Mexer – Portimonense (Emp)
Tonel
D.Carriço - Atl.Madrid?
N.Reis (Sub19)

Médios

Adrien - V.Setúbal (Emp)?
P.Mendes
M.Veloso - Inter?
A.Santos (U.Leiria) - Renovou
D.Amado (RC Massamá)
A.Martins (RC Massamá)
Moutinho - Everton?
Pereirinha - V.Setúbal (Emp)?
F.Paim (RC Massamá)
I.Rabiu (RC Massamá) fim de contrato
Renato Neto (Sub19)
Izmailov - Lokomotiv?
D.Rosado (RC Massamá)
Vukcevic - Galatasaray?
M.Fernandez
Celsinho (Portuguesa)

Avançados

Liedson
Saleiro
R.Owuso (Gil Vicente)
Pongolle
Purovic (O.Lubliana)
W.Eduardo (Portimonense)
Djalo - Newcastle?
H.Postiga
A.Zahavi (Sub19)
A.Baldé (Sub19)
R.Fonte (V.Setubal)
M.Matias (RC Massamá)

Em evolução conforme notícias.
Até breve
Guarda-Redes (11)

Hilário - Chelsea
Marcos - Paraná
Nilton - Guimarães
Moreira - Benfica
Carrizo - Lazio - River Plate
D.Vega - River Plate
Fabio - Cruzeiro
Quim - Benfica
M.Pinto - U.Chile
Toldo - Inter
McGregor - G.Rangers

Defesa direito (2)

P.Ferreira - Chelsea
Andrezinho – Vit.Guimarães

Defesa Esquerdo (6)

Ansaldi - Rubin Kazan
Fabio da Silva (emp) - Man Utd
Evaldo – Sp.Braga
Silvio - Rio Ave - Sp.Braga
Garics - Atalanta
Belhadj - Portsmouth

Defesa central (9)

Rodrigues - Sp.Braga
José Castro - Corunha
Geromel - Colónia
Demagoj Vida - Osijek - B.Leverkusen
Lazaretti - Paraná
Maycon - P.Ferreira
D.Angelo – Naval - Genova
Chicão - Corinthians
Xandão - S.Paulo

Médio centro (10)

Tiago - Juventus - Atl.Madrid
Cleber Santana -Atl.Madrid
Maniche - livre
D.Souza - Palmeiras - Catania
Arévalo Rios – Penãrol
J.Ribeiro - Académica
H.Viana - Valência
Vandinho - Sp.Braga
R.Petrovic - Partizan - R.Santander
C.Yacob - Racing Avellaneda

Médio Ala (4)

Quaresma - Inter - Besiktas
Desmarets - Guimarães
Lulinha - Corinthians
D.Larsson - Malmo

Médio Ofensivo (7)

Duda - Málaga
L.Aguiar - Sp.Braga
Vitor Gomes - Rio Ave
N.Assis - Guimarães
Alan - Sp. Braga
Valdés - Atalanta
Deco - Chelsea - Fluminense

Avançado (7)

Diego Castro - Sp.Gijon
Rafael - Hertha Berlim
Lima - Belenenses - Sp.Braga
Boghossian - Newell´s
Mouche - Boca Junior
Alan - Fluminense
Muriqui - Atl.Mineiro

56...e continua.

Até breve

domingo, 13 de junho de 2010

O que é um ponta de lança?

Cresci a ver jogar jogadores como Ian Rush, I.Wright, Muller, Lineker, Manuel Fernandes, Gomes, Voller, Battistuta, Papin e tantos outros jogadores sinónimo de golos. O que era comum a todos estes jogadores? Uns eram mais altos, outros mais rápidos, alguns mais posicionais, alguns mais móveis. Igual era a capacidade de ler o jogo, de antecipar passes, ressaltos, saber esperar a devolução da bola até ao preciso momento em que estão idolados em frente ao guarda-redes. Esta inteligência é rara, cada vez mais rara. Olho hoje o futebol mundial e contam-se pelos dedos os grandes finalizadores. Existem Pavlichenko´s, Henry´s, Rooney´s e outros que interpretando bem a função de homem golo ou jogador mais avançado não são os "killers" que nos faziam antecipar os jogos recheados com golos de outrora. Talvez Dzeko, Villa ou Milito tenham ainda um lampejo dessa "veia" quase esgotada.

Liedson não é um ponta de lança, não ocupa o espaço do ponta de lança e mais importante do que isso não é de esperar a bola na pequena área. Impacienta-se, quer estar dentro do jogo e participar no desenho das movimentações. Fá-lo com mestria, voluntarismo, com um enpenho fora do comum. Mas a frieza que mostra em frente à baliza é um "resto" que lhe sobra depois de um jogo a correr pelos corredores e procurando o erro do central. Nos últimos anos o levezinho tem descaído demasiado nas alas, partilhando a função de avançado com outros jogadores, não é uma táctica incomum, muitos treinadores preferem essa solução. Para que retiremos o melhor de Liedson parece-me óbvio que teremos de acompanhar o luso-brasileiro de um jogador mais posicional mais "frio" e porventura mais fisicamente ameacador. Mas quem?

Até breve

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Manicheismos

O Sporting não precisa de amigos, precisa de reforços. Não precisa de nomes, precisa de talentos. Ao olhar para os jogadores e sobretudo as vagas no onze da próxima época as conclusões são óbvias. Existem posições que urge reforçar, ao contrário de outras em que os lugares na equipa titulares estarão em principio, e salvo vendas, assegurados. Não me canso de dizer e escrever a mesma coisa. Precisamos de um guarda-redes, um lateral-esquerdo, dois extremos e um avançado.

Já aqui escrevi que estes reforços que considero essenciais não têm de ter todos o mesmo grau de qualidade. Existem vários tipos de futebolistas - jovens promessas, valores seguros, em fim de carreira,.Vários mercados - europeu de 1ª linha (Inglaterra, Italia, Espanha, Alemanha), 2ª linha (Leste Europeu, Bélgica, Holanda, países nórdicos), Sul Americano de 1ª Linha (Brasil, Argentina) e 2ª (Chile, Uruguai, Paraguai). Uma boa politica de prospecção e contratação avalia todas estas variáveis em busca do valor correcto para o lugar no plantel em aberto.

Salvo alguma criatividade de P.Sérgio o onze indiscutível do Sporting terá:

Losângulo                                    

1-GR                                       
2-Pereira                               
3-DE                                        
4-Carriço                     
5-DC                                    
6-Mendes                         
7-Veloso                  
8-Moutinho                       
9-Fernandez                 
10-Liedson                         
11-AC                                  

4-4-2

1-GR  
2-Pereira
3-DE 
4-Carriço 
5-DC  
6-P.Mendes
7-Moutinho 
8-Veloso   
9-ALA Dir
10-Liedson  
11-AC     
    
4-3-3

1-GR
2-Pereira
3-DE
4-Carriço
5-DC
6-Mendes
7-Veloso
8-Moutinho
9-ALA Dir
10-Liedson
11-ALA Esq

Como é evidente, por exemplo Maniche não seria titular em nenhum esquema táctico já que a polivalência de Moutinho e Veloso em poderem jogar como médios descaídos nas alas tornam-os como estratégicos seja qual for o desenho da equipa em campo. Fica a pergunta: não será melhor gastar um salário tão elevado num jogador para outra posição?

Os lugares que deixei por preencher no onze estão evidentemente necessitados de um upgrade de qualidade, salvaguardando as posições de defesa-central e avançado centro que na minha opinião podem ser colmatadas com os jogadores que já temos em último caso. Mas nas posições de defesa-esquerdo e alas (Vukcevic e Izmailov parecem de saída) precisamos de outros tantos Maniche´s ou para a equipa melhorar  Maniche´s de há 5 anos atrás.

Como já disse, esta é a minha visão de leigo da coisa, muitas outras opiniões podem existir e até serem muito melhores que a minha, duvido mesmo assim que pelo menos um lateral esquerdo não seja da máxima importância. Se formos comprar pouco (2 ou 3 jogadores), que compremos bem, neste cenário dificilmente Evaldo, Maniche e Lazaretti seriam a minha escolha.

Até breve