sábado, 31 de julho de 2010

Um jardim sem rosas...

Não sei que jogadores terá o Beira Mar para que o seu treinador considere que Diogo Rosado não encaixa no plantel. O jovem emprestado pelos leões é assim devolvido à origem e em boa hora, é sempre preferível colocar um atleta num local em que jogue. Mau pronúncio para a equipa de Aveiro, algo me diz que é com uma gestão deste género (prescindir de talento sabe-se lá por quê) que se volta para a liga de honra bem rapidinho.

Até breve.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

7º Reforço - Alberto Zapater











25 anos. 1,80m e muita alma. Este jogador da cantera do Zaragoza é um jogador que não se poupa, excelente níveis atléticos e uma entrega total ao jogo. Maradona apelidou-o de “El toro” e não se pode dizer que seja mal atribuída a alcunha. É curioso o cognome, uma vez que foi também no mesmo clube que jogou o primeiro “El Toro”, de nome Acuña um grande jogador internacional Paraguaio e com semelhanças no estilo de jogo. A venda para o Génova por 4.5 milhões de euros não espelhou o valor do jogador, mas o clube aragonês precisou e ainda hoje precisa de equilibrar as suas finanças. Fez uma boa época em Itália, mas não o suficiente para entrar nos planos de um presidente bastante ambicioso que queria à força Miguel Veloso, um jogador muito apreciado em Itália. Chega ao Sporting não por vontade, mas porque é um jogador de equipa e não teve a “força” para resistir à vontade do clube genovês.

Pontos fortes:
Entrega ao jogo, forte atleticamente e um forte pontapé. Marca bem livres de meia distância.

Pontos fracos:
O passe, aliás foi o que o “tramou” em Itália. Os treinadores italianos não têm muita paciência para jogadores que falham passes, mesmo que poucos.

O historial do jogador:

04/05 - Zaragoza
05/06 - Zaragoza
06/07 - Zaragoza
08/09 - Zaragoza
09/10 - Génova

Carreira clubes

5 épocas de futebol profissional, com 205 jogos, tendo apontado 8 golos.

Carreira Selecção Espanhola

19 internacionalizações nos sub19 e sub21, 1 golo marcado.

Espero que não tenha nenhuma lesão “não declarada” e faça esquecer completamente o esquerdino Veloso. Tem capacidade para ser o patrão do meio campo ao lado de Mendes e Maniche. É muito mais um médio de criação de jogo e não um “stopper” mais defensivo. Para mim o substituto natural de Moutinho e não de Veloso. Tem o potencial para ser um jogador da “Roja” num futuro próximo, para já não o é, mas isso também o sabiam Juventus e Lazio que estavam na expectativa de o poder contratar.

Até breve

A tal renovação…revolução

Quando se confirmarem as saídas de P.Silva, Caneira, Tonel, Moutinho, Veloso e Djaló e quando já foram emprestados Pereirinha, Adrien, Mexer, R.Baptista teremos consumado aquilo que é de facto uma revolução no plantel do Sporting. É também o maior abanão de balneário desde que entrámos na era “Roquette”. A gestão da última década foi o que se pode dizer de conservadora, com uma certa preferência para continuidades, cumprimentos integrais de contrato, para uma estabilidade a todo o custo.

Custou demasiado, exigiu muitas vezes a ingenuidade de pensar que a postura altiva e séria pode comandar os desígnios de um clube de futebol em Portugal. Casos como o de Moutinho, Djaló, Veloso, Vukcevic e Izmailov abriram os olhos a JEB de uma forma tal que é visível que não havia alternativa…o Sporting deve ter uma postura agressiva no mercado e o mercado também está dentro do Sporting.

As diferenças orçamentais agravaram-se tanto que hoje o Sporting é um verdadeiro outsider na luta pelo título e não há um Sportinguista que não saiba que só com um plantel extra-produtivo e uma dinâmica de vitórias acima do que se espera, o emblema do leão lutará esta época por uma taça.

Para esta época está a ser feito um esforço para romper com o passado e realmente reforçar a equipa. Isso irá custar provavelmente a saída dos jogadores com mais mercado (Veloso, Moutinho, Djaló) por valores muito abaixo do seu potencial, mas depois de uma época desastrada, não há milagres e os valores de mercado são ditados pelo passado recente da produtividade de um jogador e não do seu potencial.

Como o dinheiro não cai do céu, só se contratou na função das vendas e sendo estas de pouca monta, não deu para mais do que Evaldo, Torsiglieri, Maniche e Valdez. Chega agora Zapater e chegarão ainda mais um avançado e um extremo direito. Mérito seja dado, são boas contratações, o que atenua o orgulho ferido da massa adepta em ver o “capitão” e o “diamante” da equipa vendidos a um rival histórico e a um clube menor italiano. Atenuará ainda mais se os tais reforços futuros forem jogadores de qualidade aproximada aos que já entraram.

Mas uma revolução é isto mesmo, tem de se abrir feridas e nem sempre a cura parece melhor que a doença. Resta saber para onde nos leva esta mudança. Acredito que haja um plano para colocar o clube no seu devido lugar e que esta época seja o ano zero. Mais para a frente ficará uma outra revolução, a financeira. Isso explica o curto prazo de validade dos jogadores Maniche, Mendes, Evaldo e Valdez. Trazem mais experiência e vão abrir espaço para outros reforços em próximas épocas, jogadores com a mesma capacidade de dar força à equipa e com mais margem de crescimento.

Para esta época deseja-se apenas o máximo. Se isso for bom futebol e uma atitude de trabalho e esforço, penso que o lema do clube estará a ser cumprido. Não quero atitudes de kamikaze no Sporting, deixo isso para outros clubes, mais vermelhos e sempre mais desesperados. O maior trabalho deverá ser a reestruturação económica, sem ela não sairemos desta lógica de vender o melhor para comprar o acessível e não se valoriza ninguém.

Até breve 

quinta-feira, 29 de julho de 2010

FC Nordsjaelland - Sporting CP 0 - 1 Comentário













O primeiro jogo oficial da temporada trouxe uma vitória. Não foi a exibição que se esperava e não houve nada que o impedisse. O adversário foi e é fraco. O relvado estava em boas condições e de dimensões regulares, não chovia, não fazia vento e pronto, foi uma vitória. Paulo Sérgio conseguiu que equipa fosse "mandona" mas não impediu uma certa estagnação do meio-campo para a frente.
Salta a vista que os avançados de tanto procurarem fazer a "pressão alta" e tentarem recuperar a bola ficam...extenuados e sem fôlego quando chegam à área. Falta algum doseamento no esforço, Postiga e Saleiro correram a todas as bolas! Espero que seja corrigido esta falha rapidamente senão vamos ver muitos nulos no nosso marcador. A defesa esteve segura, o meio campo dinâmico, o ataque não aproveitou as fragilidades defensivas dos dinamarqueses.
No geral foi um jogo razoável, com bons apontamentos de alguns jogadores, mas foi fácil de observar a dificuldade que o Sporting tem em transformar em golos as oportunidades de golo. Falta Liedson e mais alguém.

Análise individual:
Pontuação de 0 a 10

Patricio (5)
Surpresa no onze. Esperava-se Tiago. Boa partida com 2 boas intervenções. Jogo perigoso de um avançado contrário quase o apanhava desprevenido. Sem grande participação.

Pereira (6)
Começa bem a época. Veloz, combativo, subiu sempre e quase marcava numa jogada em que os defesas nórdicos abriram uma passadeira vermelha só para si.

Evaldo (6.5)
Muito bem. Bem a atacar, bem a defender. Subiu, cobriu bem os espaços. Jogo quase perfeito, pena a equipa não ter mostrado mais vontade em acelerar.

Polga (6)
Mostrou que é para continuar o bom momento. Não sentiu dificuldades em marcar os avançados e ainda teve tempo para errar mais uns passes longos. Alguém tem de dizer ao brasileiro que este ano tem laterais para iniciar o jogo.

Carriço(6.5)
O capitão mostrou que ainda pode ser melhor que na época passada. Só isso. Não houve jogo nem adversários para mais. Inicio de jogo algo desatento, a corrigir.

Mendes (6)
Saiu lesionado no final da primeira parte. Esteve bem, o seu costume. Não subiu no terreno, compensou muitas vezes Maniche, esse sim gosta de andar lá bem perto da área.

Maniche (6.5)
Falta só um pouquinho assim para ter pernas para 90 minutos de correria. Experiente, seguro e focado. Fez assistência para golo e começa definir-se como uma peça importante do onze.

Vukcevic (7.5)
O melhor jogador. Foi dinâmico, fintou, passou, rematou e marcou. O que querem mais dele? Saiu ao 70 minutos esgotado, convém lembrar que começou a treinar mais tarde que a maioria dos seus colegas.

Djaló (5.5)
Não fez uma grande partida, longe disso. Teve uma atenuante, os dinamarqueses não deram espaços nas linhas e como não é um driblador não conseguiu nunca "resgatar" o espaço para explodir, ao contrário de Vukcevic nunca esteve ligado no jogo.

Saleiro (5)
Não foi fácil a vida aos avançados, mas Saleiro tem de entender dentro do jogo que não se pode dar à marcação durante 90 minutos. Só toques de bola em tabelinhas na entrada da área é muito pouco para um avançado. Teve 0 remates. Precisa urgentemente de umas explicações de PS.

Postiga (6)
Ao contrário de Saleiro procurou a bola e procurou marcar. Uma bola ao poste e muita luta durante os 90 minutos. Se perder o lugar não será pela vontade, garra ou motivação. Se marcasse golos era o avançado que o Sporting precisa.

Veloso (5.5)
Talvez o jogo de despedida do médio. Bem, mas semelhante aos jogos de preparação, ainda sem ritmo. Tentou conduzir a bola até à área, mas o cansaço dos avançados não lhe deu os espaços para aplicar o seu passe.

Valdez (5)
Também lhe falta ritmo e sobretudo jogos. Um bom remate e algumas trapalhadas fruto da vontade em mostrar serviço.

Liedson (5)
Em principio será dele um dos lugares da frente, mas PS não lhe vai dar o lugar, se o quiser, vai ter do o conquistar. Brilhante a coragem de Paulo Sérgio, muitos o apregoaram mas só ele o fez.

Até breve.

Dinheiro e desculpas

Estive a ver os números das transferências dos 3 grandes nas épocas 07/08, 08/09 e 09/10 e os números dizem muita coisa. Ora vejam:

FCPorto 
Aquisições: 84 milhões de euros
Vendas ou empréstimos : 211 milhões de euros

Benfica

Aquisições: 104.4 milhões de euros
Vendas ou empréstimos : 69.4 milhões de euros

Sporting

Aquisições: 38.1 milhões de euros
Vendas ou empréstimos : 37.2 milhões de euros

Para reflectirmos um pouco.

Até breve.

Sondagem "Quem seria o melhor reforço?"

A primeira sondagem que realizei aqui no VerdeàsListas perguntava aos visitantes qual seria, na sua opinião a melhor contratação para o plantel do Sporting, ficam aqui os resultados:















A votação teve lugar entre os dias 2 e 28 de Julho e contou com 27 votos.
Resta saber se algum destes "potenciais" jogadores alguma vez vestirá de verde e branco. Se os 2 primeiros são hipóteses já descartadas, os últimos 3 são possíveis, Fábio é mesmo o "eleito" para o caso de haver verbas para ir ao mercado.

Espero contar com o vosso apoio e contribuição nestes "barómetros" de vontade sportinguista. É sempre bom saber o que outros pensam, mesmo que seja diverso da opinião de cada um.

Até breve.

Tantas vezes a noticia vai à fonte...

...que um dia leva um Veloso para Génova.

Parece que é desta. Segundo os media italianos, dos quais já sou leitor virtual (resolvi ir directo à fonte e dispensar os intermediários portugueses e acreditem que os nossos jornalistas lêem coisas que nunca foram escritas) já haverá acordo entre as 4 partes do negócio (Sporting, Veloso, Génova e Zapater).

Como já é a 17ª vez que isso se garante, é óbvio que a noticia carece de confirmação oficial, algo que só deverá acontecer depois do jogo na Dinamarca. Navegando portanto num cenário hipotético (para já) de o Sporting receber Zapater como acréscimo a uma verba a rondar os 9 milhões de euros, pergunto-me se eu fosse o Costinha, o que faria com 9 milhões de euros?

É sabido que P.Sérgio aguarda por reforços, jogadores que dêem mais opções à uma equipa com 14, 15 opções válidas neste momento. O lugar de guarda-redes, médio defensivo, estremo direito e avançado parecem prioritários (para defesas centrais PS já estará satisfeito com a nova motivação de Polga e os bons apontamentos de Coelho e Torsiglieri e para médio Zapater pode ser uma opção).

Com 9 milhões de euros, numa divisão puramente aritmética, Costinha poderia ir ao mercado gastando 3 milhões de euros em cada lugar, não é bom, é excelente. Se este cenário tivesse acontecido há um mês provavelmente jogadores como Boghossian, Carrizo e Dátolo não tinham escapado. Mas jogadores há muitos e quando se têm dinheiro o cenário muda totalmente.

É claro que a noticia da venda de Veloso vai correr meio mundo e seja a que porta o Sporting for bater para adquirir jogadores, eles vão certamente pedir grande parte do dinheiro noticiado. Por isso espero que se todas as noticias forem reais, Costinha já tenha fechado verbas com os clubes vendedores. É que depois da oficialização da transferência vai ficar bem mais difícil, isto é, caro.

Até breve

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Prémios de Julho

Muito material ouve para a atribuição dos prémios relativos a Julho. O mercado a mexer, as primeiras exibições, as análises das forças e fraquezas das equipas, as declarações foram muitas e as temperaturas elevadas fizeram o resto. Assim, sem mais demora vamos aos vencedores.

Prémio “Ganda Malha!” Julho de 2010












Em duas edições deste prémio, Jesus faz o pleno. O lisboeta não parece dar hipótese à concorrência. Instado a comentar a ausência de Roberto no particular frente ao Sunderland, Jesus respondeu com nova pergunta "Por que motivo falam sempre do Roberto?" Oh...Jesus, terá alguma coisa relacionada com o facto de ser provavelmente o pior guarda-redes dos planteis do 3 grandes e na calha de se transformar num Ovchinikov ou num Moretto? Ou pelo insignificante detalhe de ter custado 8,5 milhões de euros? Porventura será porque o Benfica contratou para titular da sua baliza um guardião que apenas fez meia época num clube espanhol que lutou até à ultima jornada para não descer e que aos 24 anos fez apenas 24 jogos na 1ª divisão?

Prémio “Favas com chouriço” Julho de 2010














Muito se disse sobre a transferência de Moutinho para o FC Porto, mas Varela, também ele ex-Sporting foi o que rebentou a escala na verborreia de "falar para o povo". "Moutinho escolheu o melhor" disse Varela. Todos acreditam que é a sua opinião, mas o extremo esqueceu-se de acrescentar esse facto. Na verdade ele sabe como vai correr a época e sabe também que o ex-capitão leonino vai ser titular e ainda mais, sabe que vai fazer grandes exibições. Varela sabe mesmo muito, tem dotes de premonição, pena que não tenha feito uso deles quando andava a dizer nos jornais que o Sporting era o seu clube do coração. Um prémio para ele.
Prémio “Floribela” Julho de 2010













Já se sabe que o Luisão do Benfica quer um contrato melhor, ou que o deixem sair seja para onde for, o homem vê os seus melhores anos a ficar para trás e o amor à camisola não compra casas e carros. Mas as últimas declarações do central são memoráveis, uma das últimas merece mesmo um prémio: "O importante é continuar a ser feliz". É de um catolicismo e um desprendimento total, só a felicidade interessa. Resta saber por quanto é que Luisão fica feliz.

Para o mês há mais.

Até breve.

Estes italianos tem cá uma lata

















O Miguel e o Sporting podem até já ter tudo acertado com o Génova (o que ainda não vi confirmado por ninguém dos Leões) mas colocar o jogador num onze quando ainda não há nenhuma oficialização de contrato é obra. Sabe-se da agressividade da imprensa desportiva italiana, até é conhecida a tendência chauvinista dos italianos, mas chegar a este ponto é muita fezada.

Não sou nenhum anjinho e acredito que um dos melhores jornais desportivos mundiais não põe boatos e rumores nas suas capas, mas algo de estranho se passa com este "caso" entre Sporting e Génova. Não sei se o presidente do clube italiano é uma espécie de Vale e Azevedo genovês, mas há duas semanas que o homem diz que já está tudo acertado. Será um caso de demência italiana ou encobrimento sportinguista?

Tendo para acreditar que tudo depende do acordo entre Veloso e o Génova e entre Zapater e o Sporting, ambas as negociações devem estar a correr mal. Por mim podem correr horrivelmente mal uma vez que imagino o passe do internacional português valer no futuro bem mais do que 9 milhões, mesmo que com o espanhol como "rebuçado".

Até breve

terça-feira, 27 de julho de 2010

Ainda mexe.

Afinal o plantel do Sporting ainda não está fechado. Notícias e muitas "movimentações" estão a ser feitas por Costinha e companhia no sentido de resolver casos ainda pendentes. O director desportivo e JEB bem que avisaram que os timings podem ser diferentes dos ideais, mas só irão "avançar quando todas as condições estiverem reunidas" (preço e vontade dos jogadores).

Procura-se um guarda-redes, um médio centro e um ponta de lança. O caso do extremo direito pode estar resolvido se Izmailov desistir de um processo de litígio face à multa que sofreu. A ausência de declarações do sempre "galante e corajoso" presidente do sindicato de jogadores (não o vi atacar o Benfica e FC Porto em casos recentes de castigos a jogadores) pode indicar que as partes tendem a aproximar-se.

Fala-se de Fábio do Cruzeiro para a baliza, de Zapater (depende da venda de Stojkovic) para médio por troca com Veloso e mais 10 milhões e para o lugar de avançado "ouvi dizer" que Denni Avdic e Velasquez podem ser hipótese para o insucesso à vista do empréstimo de Pavlyuchenko (depende da venda de Djaló a baixo custo).

Todas as compras estão dependentes de vendas, não há plano B, tudo depende realmente do mercado e só quando este for favorável e com propostas interessantes existirão saídas ou entradas. Era fantástico que tivéssemos a "agressividade financeira" dos nossos vizinhos da 2ª circular, mas nem sempre essa postura vai garantir um reforço substancial da equipa. A meu ver, das contratações deste ano do Benfica não deve sair nenhum titular, nem na baliza. São muitos milhões para o banco. O Porto investiu melhor, James, Moutinho e Walter devem entrar para o onze. Já o Braga, jogou na lotaria e veremos o que dão o lote de "desconhecidos" que foram contratados, Lima e Luis Aguiar são a excepção.

Esta e a próxima semana são decisivas e pode esperar-se até ao fim de Agosto até que o mercado anime e comece a dança de transferências, Manchester City, Juventus, Inter e Real Madrid estão na iminência de começar a "empurrar" o mercado. Veremos se chega "algum" aos nossos cofres.

Até breve.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

A verdade dos números

Os números não mentem e a verdade é que este defeso está a ser marcado por uma forte contenção nas verbas destinadas a transferências. À excepção do Manchester City, todos os outros clubes estão a muitos milhões de euros de distância do que costumam investir. O top das transferência até ao dia de hoje é o seguinte:

D.Villa – Valência – Barcelona – 45 M
D.Silva – Valencia – City – 32M
Di Maria – Benfica – R.Madrid – 25M
Y.Toure – Barcelona – City – 20M
Adriano – Sevilha – Barcelona – 20 M
Boateng – Hamburgo – City – 15M
Bonucci – Bari – Juventus – 15M
Chygrynskiy – Barcelona - Shaktar D. – 13 M
Martinez – Juventus – Catania – 12M
T.Kroos – Leverkusen – Munich - 12M
Kjaer – Palermo – Wolfsburgo – 12M
Moutinho – Sporting – FC Porto - 11M
Felipe – D.Coruna – Atl.Madrid – 11M
Kolarov – Lazio – City – 9M
P.Leon – Getafe – R.Madrid – 9M
R.Soldado – Getafe – Valência – 9M
Obafebi Martins – Wolfsburgo – Rubin K. – 9M
DAgostino – Udinese – Fiorentina -  9M
Floccari – Lazio – Génova – 8.5M
Roberto – Atl.Madrid – Benfica – 8.5M
Gaitan – Boca Júniors – Benfica – 7.5M
J.Bryand – Rennes – Lyon – 7.5M
Eduardo – Arsenal - Shaktar D. – 7.5M
M.Janko – Salzburg – Twente – 7.5M
César – Osasuna – Marselha – 7M
Sokratis – Génova – AC Milan – 7M
Quaresma – Inter – Besiktas – 7M
J.Hernandez – Guadalajara – M.Utd – 6M
S.Canales – Santander – R.Madrid – 6M

Como é fácil de constatar, grandes clubes como Manchester United, Chelsea, Juventus, Milan, Inter, B.Munich, Arsenal ou Liverpool estão muito comedidos e apesar dos muitos rumores de grandes transferências, a verdade é que a lógica do mercado louco por este ou aquele jogador é um cenário do passado. Para quem tem vindo a proclamar que o jogador x só sai pela clausula de rescisão, por 30 ou 40 milhões, basta ver a lista anterior para entender que provavelmente se for vendido por 20 milhões será um grande negócio.

Factos como o recém eleito presidente do Barcelona ter vindo dizer que o clube está em contenção de verbas tem acontecido a uma escala global e quem dera à quase maioria dos clubes o "orçamento de contenção" catalão. Quem compra sabe que só o simples facto de ter a verba para gastar é uma vantagem substancial no negócio. Os clubes precisam de encaixes rápidos que contraponham  a contracção económica europeia, que os afecta em preços de bilheteira, merchandising, direitos de TV, etc.

A pressão para gastar bem o dinheiro é enorme e o que está a acontecer a Roberto do Benfica não irá ser um caso isolado. Isto não significa que o valor dos passes baixou, apenas quer dizer que o valor pelo qual o clube vendedor aceita transferir um jogador é bem menor do que no passado. Pode ser a crise do mercado do futebol, mas também pode ser o anúncio de uma nova economia desportiva, mais realista e até mais saudável para a competitividade entre clubes de várias dimensões.

Espero que os clubes portugueses entendam estas mudanças e não decidam vender ao desbarato. Quando há menos dinheiro não se deixa de investir, investe-se mais ainda, a diferença está apenas no grau de segurança de cada investimento. No Sporting o primeiro erro (venda deficitária) parece claramente por detectar, já o segundo pode-se dizer que foi bem assimilado, Evaldo e Valdez ficaram em margens aceitáveis para o valor concreto dos atletas, Torsiglieiri ficará para uma avaliação futura.

Até breve.

O "Recreio" Acabou

Acabou a pré-época do Sporting.
E pode até dizer-se que acabou bem, com a conquista de um (pequeno) troféu. Este torneio de NY prometia mais, mas a fraca condição das equipas inglesas fez baixar a competitividade dos encontros. Espero que Paulo Sérgio não pense que estes são os verdadeiros Tottenham e City e extraia dos dois encontros uma estrita noção de desempenho. Se o fizer está enganado. As exibições tem tanto mérito como ter jogado com um  Manchester sem Nani, Berbatov, Rooney, Vidic e Ferdinand, valem mas não é a mesma coisa.

Desta pré-época, ressaltam à vista algumas diferenças e melhorias na equipa, mas também a manutenção de dificuldades que não foram superadas:

Na baliza, parece que Tiago (contra todas as probabilidades) vai começar a titular, nem se pode dizer que Patrício tenha comprometido, mas talvez seja uma estratégia para dar mais espírito lutador ao jovem. Golas não ficou mal na fotografia e ficará no plantel se mais ninguém entrar. Um defeso inteiro com um campeonato do mundo pelo meio não chegou para resolver o problema chamado Stojkovic. Não será só culpa dele.

Na defesa continuam os problemas nas bolas paradas, está difícil de debelar uma falha que dura há demasiado tempo e que pode custar muitas derrotas em jogos a doer. Nas laterais Evaldo veio resolver o lado esquerdo, e bem. Na direita, Pereira parece seguro. No centro explodiram as soluções, e se antes havia "material" a menos, agora existe a mais. As entradas de Coelho e Torisglieri deram centímetros, mas PS irá preferir a segurança do capitão Carriço e do sub-capitão Polga. Polga parece de volta aos bons tempos e Tonel de volta aos golos. Quando já pareciam "vendidos" as suas avaliações talvez tenham feito o treinador mudar de opinião...portanto agora há 5 atletas para 2 lugares no onze.

No meio campo assistimos a uma revolução. No centro, Veloso deverá sair e Moutinho saiu mesmo. Mendes e Maniche parecem ser as apostas para jogar com 2 trincos. Ganharam a luta pelo lugar a A.Santos mas a custo, uma vez que o jovem mostrou ter a capacidade para se impor de uma forma mais consistente que por exemplo Adrien. Nas alas a chegada de Valdez e a "recuperação" de Vukcevic são grandes trunfos para a temporada. No aspecto mais negativo,  não chegou ninguém para lutar pela ala direita com o infortunado e problemático Izmailov. No mais positivo, o despontar de um grande talento chamado Salomão, pode não ser este o seu ano, mas não vão faltar oportunidades.

No ataque Liedson continua a ser a única opção de peso e a táctica de jogo com dois avançados precisa de alguém que Postiga parece querer ser. Pongolle e Saleiro estão melhores mas devem continuar no banco à espera de uma "quebra" de Postiga ou quem sabe um novo avançado. Djaló continua a aliar as grandes exibições com as nulas e para já é uma incógnita de fica ou não no plantel.

No final do último jogo que empatou contra o Tottenham, o Sporting parece deixar uma imagem de melhoria, de mais motivação, mais combate e organização. Não se transfigurou completamente. Faltaram aquisições e estabilidade para isso, mas há ideias e nota-se que estão a ser passadas com convicção aos jogadores. O melhor elogio para JEB, Costinha e PS é: parabéns fizeram uma verdadeira pré-época. Agora falta o resto.

Até breve.

domingo, 25 de julho de 2010

Ir a "Banhos"

Enquanto todos os Portugueses começam a sua época de "banhos" no mar, nas barragens, nos rios e nas piscinas, os Sportinguistas pode-se dizer que não param de levar com autênticos banhos mas de más notícias. Não são de agua fria, mas arrefecem e de que maneira os nosso ânimos.

Primeiro não vinha ninguém, depois saiu o Moutinho. Agora que estava tudo a compor-se com a entrada de um bom jogador (Valdez), a manutenção de outro (Vukcevic) e a promessa de um novo talento (Salomão) cai o maior banho de todos....a venda de Miguel Veloso pode por um bloco de gelo sobre a nossa vontade de acreditar numa equipa a que se retira dois bons jogadores e se devolve apenas um.

Maniche não tem a técnica nem a juventude de Veloso, não cobra livres nem cantos e apesar de uma voz de comando mais presente, perde a cabeça com frequência e já não dá para 90 minutos em alta rodagem. Não me venham com histórias que a entrada do pupilo de Mourinho compensará a saída de Veloso. Não compensa, nem sequer são parecidos no estilo e posição de jogo.

Moutinho não foi bem vendido, foi um péssimo negócio. Vozes existem que defendem que não tinha lugar no onze desta época, pode até ser verdade, mas tem no Porto e isso deveria obrigar-nos a pensar no que esta SAD fez, com ou sem vontade do jogador.

JEB defendeu que se o clube fosse dele não tinha vendido, deverá ser a mesma justificação com que vai iniciar a conferência de imprensa depois da venda do MV, mas aqui reside um novo problema, nenhum Sportinguista põe de parte a venda de jogadores, todos compreendem que no futebol moderno os clubes têm de deixar sair os melhores jogadores por não conseguir concorrer com os salários de outros grandes europeus.

Mas não é isso que tem acontecido no Sporting e MV prepara-se para sair para o gigante europeu...Génova e por 8 milhões de euros. Moutinho saiu para o Todo-poderoso...FCP, por 10 milhões. Algo não está bem e a única imagem que me ocorre é um leão na borda de um precipício financeiro a tentar fincar as garras em terreno sólido. Estas vendas parecem-me bem mais actos de desespero do que actos pertencentes a uma estratégia de mercado.

Querem mais banho de que isto? Mas esperem que ainda há mais. Liedson e Izmailov preparam-se para roer mais um pouco de corda e se isto continua assim, a equipa vê-se amputada de 4 dos 5 melhores jogadores. Do plantel anterior Moutinho, Carriço, Veloso, Izmailov e Liedson seguraram muitas vezes uma equipa à beira do colapso. Se têm dúvidas revejam os jogos da última época. Que transição irá ser feita para esta, quem assegura em campo a qualidade de jogo? Maniche? Torsiglieiri? Pongolle? É que Valdez e Evaldo não vão chegar.

JEB e Costinha façam-me um favor, deixem lá o Zapater no Génova, fiquem com o Veloso mais um ano e depois de um bom campeonato vendam-no pelo dobro que estão para fazer agora. Se o Zapater for assim tão bom, contratem-no. Dêem 4 milhões ao Génova e deixem-nos "secar" um pouco.

Até breve.

sábado, 24 de julho de 2010

American Dreams

O Sonho Americano traduz-se na possibilidade de qualquer que seja a origem, poder alcançar sempre grandes feitos. Este poderia ser a essência de qualquer crónica sobre a vitória de ontem do Sporting face ao Manchester City. Mas não é.

Primeiro, porque me encontro ainda em estado de choque "latente" perante a iminente venda de Veloso por8 milhões de euros ao Génova. Com Zapater ou sem Zapater será sempre muito pouco dinheiro. O jogador espanhol está avaliado em 6 milhões, pois e o Veloso em 14 milhões. A matemática aprova a troca, mas o futebol não. Veloso é um jogador cobiçado desde há anos por o top de clubes europeus. Zapater é cobiçado por quem? Não tenho nem vou ter capacidade para entender este negócio.

Segundo, porque o Sporting jogou contra uma "sombra" de adversário que só quis treinar a sua defesa e mesmo essa não sendo a titular.

Por estas razões mantenho muitas reservas quanto ao significado da partida de ontem, mesmo assim uma palavras para a pontaria de Djaló, o empenho de Postiga, a maturidade de Mendes e Maniche e a qualidade de Evaldo, Pereira, Vukcevic e Valdez. Mesmo sem o brilho de uma vitória "normal", um bom treino.

Até breve

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Olhando para a trás e para a frente












Este foi o plantel que começou a época à 2 anos atrás. Pensando que não estamos muito melhor do que nessa época, só resta dizer que estamos a ficar demasiado parecidos com a gestão do Benfica de há uns anos atrás. Sem coerência, sem dinheiro, sem honra e vitórias, mas com muitas mexidas na equipa. Para quê?

Até breve

O que significa "adorar "?

"Recusei o Génova por adoro jogar pelo Sporting."

Parece que o Miguel mudou de ideias.

A imprensa italiana dá como concluída a transferência de Miguel Veloso para o Géneova por 8 milhões de euros mais o passe de Zapater. Começo a ficar sem paciência para a venda de maçãs podres que são do mais fresco que há assim que saem de Alvalade. Quero ver a justificação de JEB ou Costinha para um negócio tão estúpido como este. Já ninguém vai engolir a seco a história do "ele quis sair".

Até breve

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Alguém viu...?

Ao olhar para os jogadores com contrato sénior com o Sporting pasmo o facto de ninguém (imprensa ou o Sporting oficialmente) saber nada sobre:

Michael Santos
Pedro Silva
Caneira
Fábio Paim
Ibrahim Rabiu
Celsinho
Purovic
Marco Matias

Podem ser cartas fora do baralho, mas ao que sei são "activos" do clube. Como não leio toda a imprensa escrita, alguém sabe o que se passa em algum destes casos?

Até breve

Celtic - Sporting (1-1)














O primeiro jogo em terras do Tio Sam, saldou-se por um empate. O adversário foi o Celtic, é uma boa equipa, fisicamente mais apta, mas claramente inferior ao Sporting.
A equipa escocesa pareceu adaptar-se melhor ao estreito terreno de jogo de Fenway Park, um estádio mítico de basebol (faltava pelo menos uns 10 metros em cada faixa lateral) e numa estratégia de contra-ataque “esperou” pelo adiantamento do Sporting para colocar a bola em Samaras e provocar algum perigo. O grego foi mesmo o melhor jogador da partida talvez a par de Vukcevic que só jogou a primeira parte.

Ficou a ideia que o Sporting podia ter ganho facilmente o jogo, falhou algumas oportunidades e sobretudo não foi objectivo nas imediações da área contrária. O Celtic beneficiou da complacência do árbitro perante o seu jogo de faltas duras e de uma penalidade um pouco forçada para se colocar em vantagem e até ao final do encontro pareceu “desejar” que o tempo passasse depressa. Apesar de ter abalado, o Sporting não caiu com o golo sofrido e Postiga acabado de substituir um Djaló completamente perdido (sem as faixas para “respirar”) marcou um golo que veio premiar a insistência leonina e a supra-motivação (onde é que andava?) de Postiga.

Fica a análise jogador a jogador:

1ª PARTE

Patrício – Boa exibição. Uma grande defesa a salvar um golo certo. Sempre certinho.
Abel – Melhor a atacar do que a defender. Apoiou bem o ataque em triangulações com Fernandez e Vukcevic. Andou “pegado” o tempo todo com Samaras o que era desnecessário para um atleta com a sua experiência.
Grimi – Mais do mesmo. Muito esquecido, numa ala esquerda inoperante.
Torsiglieri – Seguro pelo ar, foi mandão e quis sempre sair a jogar. Tem de ter mais cuidado nas jogadas de um para um, nem sempre se pode roubar a bola ao avançado e sair com a bola dominada, por vezes é melhor chutar para a linha ou canto. Nota-se evolução.
Tonel – Discreto e seguro. Não passou nada no seu raio de acção.
P.Mendes – A equipa sob a sua batuta é mais segura e mais apoiada, o melhor elogio que se pode fazer é que fez falta na segunda parte.
Veloso – Uns furos acima fisicamente. Parece um pouco trapalhão na decisão dos lances em que ataca a área. 2 ou 3 grandes passes e uma boa ocupação do terreno que talvez não cheguem para a titularidade no início da época.
Fernandez – Jogou a “8”, solto pelo campo, com a missão de vir buscar jogo ao meio campo. Desenhou bons lances e correu muito atrás da bola, tentou ligar as duas alas, naturalmente descaiu mais para o lado direito, onde tinha Abel, Vukcevic e até Veloso e menos para o lado esquerdo onde só tinha Valdez. Faltou 1 ou 2 remates para ser considerada uma boa exibição.
Valdez – Parece longe de uma boa forma física, mas mesmo assim bons lances pela ala esquerda, faltou o apoio de Grimi para poder assegurar mais jogo pelo seu lado.
Vukcevic – Que bela exibição. Tecnicamente foi o melhor da partida, fintou, rematou, fez grandes passes e conduziu muita posse de bola pela direita. Para mim é de caras um titular. O novo corte de cabelo promete um novo Montenegrino.
Saleiro – Ninguém tem dúvidas que é um bom avançado. Mas um “matador” não falha o golo que este jogador falhou. Bem a combinar com Fernandez e Valdez, perdeu uma boa oportunidade de mostrar “serviço” que para ele é o mesmo que dizer – golos.

2ª PARTE

Golas – Esteve bem. Uma boa defesa. Não teve muito trabalho, mas pareceu seguro.
Pereira – Tal como a ala esquerda da primeira parte, a da direita na segunda foi pouco produtiva. Este lateral só nos últimos 10 minutos teve bola e não se pode dizer que tenha combinado muito bem com Salomão. Mais apagado do que é costume.
Evaldo – Jogou muito e sempre bem. Mas apenas uma falha mancha toda uma exibição. Onde é que estava no lance do penalty? Pois é. Avançar sim. Descuidar o flanco não. Divide as culpas com o médio que lhe devia ter feito a compensação. A ver e rever, estas falhas.
Polga – Parece de facto o Polga mais seguro e forte das boas épocas. Para mim não teve culpa no lance do penalty, muito forçado por Samaras. O árbitro caiu na “encenação”.
N.Coelho – Tal como Tonel, com menos trabalho e muito discreto. Seguro também.
Maniche – Começou cheio de folego e acabou a passo. Bons movimentos e um grande remate que podia ter dado golo. Uns furos abaixo da exibição com o Lyon.
A.Santos – Não jogou o que sabe jogar. Esteve muito trapalhão na condução da bola e apesar de mais voluntário na procura da bola, faltou o esclarecimento e os passes que costuma ser o seu forte.
Djaló – Não se percebeu muito bem se foi colocado na ala ou no centro do terreno, talvez por essa confusão, fez 20 minutos e saiu. Parece estar a perder terreno na luta pela titularidade. A cabeça deve estar em Inglaterra, por que nos EUA, neste jogo, só esteve o corpo.
Liedson – Não é o Liedson que estamos habituados. Preso, com dificuldade em combinar com os colegas. Correu e até podia ter marcado, mas ainda falta tempo e treino ao capitão da segunda parte.
Pongolle – Continua a mostrar vontade e bom jogo. A jogada do golo do Sporting é sua e isso já mais do que tem feito nos últimos jogos. Mas espera-se mais do francês.
Salomão – A ala direita onde jogou foi quase inactiva. Não teve muita bola o que para um jogador como ele é o mesmo que não estar dentro do jogo. Não brilhou.
Postiga – A par com Vukcevic foi do melhor que se viu. Aguerrido, lutador, esclarecido, marcou um golo de cabeça a recarga a uma cabeçada ao poste de Salomão e podia ter marcado outro num remate genial de fora da área. No pouco tempo que jogou, foi um “motor” de perigo para a baliza, grande cruzamento para cabeçada de Liedson.

Resumindo, faltou muito pouco para ganhar a partida e quem sabe num campo de dimensões regulares não tivéssemos visto o “Sporting de Lyon”. Mas a verdade é que a equipa esteve menos ligada e menos objectiva em relação ao último jogo. Num jogo a sério teria jogado contra 10 ou 9, tantas as faltas que os dois médios defensivos do Celtic fizeram, algumas bem duras, para “parar” o ataque do Sporting.

Veremos no próximo jogo como evolui a tal equipa titular.

Até breve

quarta-feira, 21 de julho de 2010

As "outras" equipas

Com quase um mês de pré-época e mais de 70 nomes adiantados na imprensa como reforços, Costinha continua a ter de desmentir nome atrás de nome. Imagino que alguns nomes sugeridos tenham sido verdadeiros contactos e alvo genuíno interesse leonino, mas numa passagem rápida pelos jogadores “quase”, podíamos fazer o seguinte onze:

Na baliza, só, o titular de Portugal  - Eduardo.
Nas laterais Paulo Ferreira do Chelsea e Ansaldi, futuro lateral esquerdo da Argentina.
A centrais, Xandão e Xicão, talvez os dois melhores centrais do Brasileirão.
A trincos, apenas, Rios do Uruguai e Diego Souza.
A extremos, Quaresma e Drenthe
No apoio ao ponta de lança, Geovani dos Santos.
No centro do ataque Pavlyuchenko.

Não sei se seríamos campeões com este onze, mas que seria uma equipa competitiva, disso ninguém terá muitas dúvidas. Mas vivemos dos jogadores que temos e felizmente, não tendo estes, temos outros bons jogadores. De um onze imaginário, passamos para um onze real.

Na baliza, Rui Patrício. Talvez a maior esperança para a baliza de Portugal.
Nas faixas defensivas, Pereira e Evaldo, os “bracarenses”.
No centro da defesa, Torsiglieri e Carriço. São novos e com muito talento.
A trincos, os mundialistas Mendes e Veloso.
Nas alas, os revolucionários “Zapata” e Izmailov.
No lugar de pivot ofensivo, “MatigolFernandez.
Na frente da baliza contrária o levezinho Liedson.
Publicar mensagem

Não está nada mal, mas melhora ainda se imaginarmos que para substituir estes temos também:

A guarda-redes, o altíssimo e jovem Gola e o veterano mais veterano do clube, Tiago.
A defesas laterais, o experiente Abel e o desconcertante Grimi.
Como centrais, o “capitão” Polga, o inesperado Coelho e o goleador Tonel.
No centro, o inquieto Maniche e o talentoso A.Santos.
Nas alas, o renovadovic Vukcevic e a sensação Salomão.
A servir o avançado, o “inglês” Djaló.
A avançado centro a “Companhia do Liedson” -  Postiga, Pongolle e Saleiro.

Por entre alguns erros de casting, temos de facto valores que podem fazer desta época um percurso bem menos torturante que o da época anterior. Para começar, que tal começarmos a olhar mais para o que fica e o que chegou e um pouco menos para as capas de jornais repletas de astros fabulosos e impossíveis. Se o Sporting somos nós, isso quer dizer que nós também somos os jogadores do plantel, com virtudes e defeitos, têm contrato. Com maiores ou menores capacidades equipam de leão ao peito. Isso faz deles os nossos ídolos, eles e não outros.

Até breve.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Decisão Salomónica













A decisão de ficar com Diogo Salomão na equipa só por si já é uma novela. Mas é das boas. No argumento deste seriado, os interesses do Sporting estão sempre salvaguardados. Se ficar é bom para o Sporting, se for emprestado também.

Mas tal como o Rei Salomão se pautava por analisar todos os ângulos de um problema e decidir a bem de todas as parte, também o futuro deste jogador deve ser assegurado pensando na sua carreira e nas necessidades imediatas do clube.

Uma coisa é segura, é e será ainda mais um jogador com um futebol muito vibrante. Tal como Nani ou Ronaldo, Salomão sabe o que fazer com a bola nos pés e procura um jogo vertical em direcção à baliza. A meu ver tem uma característica que os seus antecessores não tinham (adquiriram no Manchester) é excelente nas assistências para o centro da área.

Enquanto não chega o tal extremo para competir com Izmailov na ala direita, Salomão vai ganhando pontos a cada partida e, verdade seja dita, tem mostrado uma atitude muito competitiva. No que depender do seu empenho o lugar já parece seu.

Mas na gestão de um plantel de clubes que lutam por títulos, a convocatória de cada jogo faz-se com certezas e não com esperanças. Erros passados mostram o quanto o clube dependeu da prestação elevadíssima e regular de jogadores com 1 ou 2 anos de futebol sénior.

A decisão de incluir este jogador, na minha opinião deve apenas depender da possível entrada de um jogador para o mesmo lugar com outros créditos. Se não chegar, então assim a decisão será fácil.
Um jogador com estas características não deve estar parado num banco de suplentes e qualquer que seja a opção tomada por P.Sérgio, deve ser dada primazia à evolução e desenvolvimento do mesmo.

Neste ano ou no próximo, parece que estamos perante mais uma grande descoberta dos olheiros do Sporting.

Até breve

Ser grande













A grandeza de um clube pode ser medida de várias formas, em Portugal costumamos usar a régua dos títulos. É real e na verdade é a base de sustentação de qualquer instituição que compete, as vitórias dinamizam a actualidade e trazem adeptos. Mas há mais. Gosto de pensar que os Sportinguistas são mais inteligentes que o senhor de bigode que no balcão da tasca bebe o seu copo de vinho e coçando a orelha com a unha faz comentários sobre o tempo dos 5 violinos.

Ser grande normalmente significa ter muitos adeptos, muitos sócios, uma grande massa de números que movem dinheiro, assistências no estádio, muito merchandising que se estende até ao vinho, corta-unhas e seguros automóveis. Alguns vêem para além do volume e procuram o valor, a cultura e a identidade, quanto a mim esses são os grandes clubes de futebol – as associações de ideias e formas de estar no desporto.

Se pensarmos quais são os clubes grandes do mundo, dificilmente não escolheremos o Flamengo, Boca Juniors, Ajax, Juventus, Barcelona, Real Madrid, Bordéus, Bayern Munique e Manchester United. Na última década têm aparecido outros que sendo ricos e bem geridos não são “grandes”. Clubes como o Chelsea, Zenit, PSV, Dortmund, Lyon e Twente ainda não têm história, mas têm boas gestões financeiras e desportivas. Falta-lhes a cultura e isso vem com a defesa e patrocínio de valores diferentes que os distingam da “multidão” de todos os que ganham.

Em Espanha, França, Itália e Inglaterra um clube de futebol é uma associação de adeptos da mesma região e por isso reflecte a identidade de uma cidade ou província, às vezes com línguas e nacionalidades diferentes e até movimentos separatistas associados (Barcelona, Atl.Bilbao) chega mesmo a haver clubes com identificações políticas (Lazio, Spartak Moscovo).

Em países como Portugal, mais pequeno, clubes como o Sporting não podem depender da sua cidade ou de uma região, seria possível se Lisboa não tivesse outras referências clubísticas, mas a verdade é que nem o Benfica nem o Porto entendem a sua base de “recrutamento” como regional. Precisam do espaço físico e populacional de todo o país.

Na identidade de um clube nacional, cabem demasiadas realidades, demasiados ambientes para poder existir uma homogeneidade que construa sozinha a realidade cultural do clube. Então em que diverge um adepto do Porto, Benfica e Sporting?
Na actualidade apenas a história e os jogadores, a bandeira e a camisola, o estádio e muito recentemente as estruturas comercias desenvolvidas pelas SADs.

Se olharmos num plano sociológico podemos definir um arquétipo de cada clube: o Sporting é um clube nobre, distinto, com valores e que gosta acima de tudo de bom futebol; o Benfica é um clube mais popular, habituado a ganhar e com a necessidade de grandes nomes nos seus plantéis; o Porto é um símbolo da região do Porto, do Norte que gosta de um futebol agressivo e muito objectivo.

Estes arquétipos são cada vez menos claros e visíveis por muitas razões: o Sporting e o Porto também são populares, o Benfica também conta com muitas figuras de faixas sociais ditas mais elevadas, o Porto não tem só adeptos no Norte, etc.

Actualmente, são muito mais subjectivas as razões para uma criança “adoptar” uma preferência clubística. A explicação mais óbvia é que preferirá a equipa que ganha mais aquando da sua percepção do que é o futebol´. Sendo lógica não é a única. A vitória não é a única base de angariação de novos adeptos.

Por tudo isto penso que seja urgente definir o que é o Sporting, o que é a nossa cultura, em que somos diferentes. Depois deste trabalho, temos de definitivamente investir nessa diferença, nessa imagem e projectá-la com novos métodos, adaptando a essência do clube ao futuro. Facebook, twitter, jogos de computador, música, os novos canais de comunicação necessitam de ser dinamizados em função do adepto do futuro, os seus gostos, espaço de acção, facilidade de acesso e convivência.

Nunca poderemos ter um responsável a dizer coisas como “temos de jogar à Porto” ou “investir como o Benfica” ou “o nosso treinador é o Fergusson do Sporting”. Isto é a negação de uma identidade. Pode e deve haver “benchmarking” mas sempre adaptado à nossa realidade e nunca assumido como outra.

De entre toda a trapalhada das últimas épocas, o Sporting tem um projecto que tem servido de bandeira e muitas vezes desconsiderado e maltratado. As escolas de formação de jogadores são hoje uma das mais fortes identidades e instrumento diferenciador do Sporting. Neste momento até é único à escala planetária e isso não é coisa pouca, significa muito e bom trabalho em décadas. Sucessivas direcções investiram e bem nessa diferença e posicionamento. Penso que é chegada a hora de também os adeptos compreenderem a riqueza que têm.

Um dos erros mais comuns dos adeptos é confundir as escolas com fábricas de craques, não o são apesar de darem muito ao futebol nacional e internacional. São acima de tudo espaço de desenvolvimento humano. São, digamos que Faculdades de jogadores de futebol e mais ninguém o consegue como nós. Destas faculdades saem todos os anos jogadores médios, jogadores bons e às vezes grandes jogadores. Não saem de certeza jogadores maus e isso é o sucesso das Academias do Sporting.

Várias notícias dão conta do projecto de internacionalização das Academias, com base em África, Ásia e no futuro América do Norte e Sul. É um desígnio ambicioso, mas que nos deveria orgulhar e ser estimulado com um pouco mais de interesse por parte dos sócios. Em muitos detalhes é fácil de entender que os Sportinguistas olham com alheamento os sucessos da formação o que é errado. Se o projecto for em frente com a segurança que tem tido, num futuro próximo seremos mais conhecidos pelas nossas escolas, do que pelas nossas escassas vitórias. Alguns verão nisso um problema, eu vejo um diferencial que em tudo tem bases fortíssimas para ajudar nas vitórias do futuro.

Clubes como Auxerre, Ajax, Santos e Barcelona tem usado as suas escolas de referência de formas diferentes. Diferem sobretudo na capacidade de manter os seus “canteranos”, no caso do Auxerre muito pouco tempo, no caso do Barcelona, para sempre.

Espero que consigamos no futuro próximo distinguir a árvore da floresta e apostar mais na transição do nossos atletas da formação para o futebol profissional e dar-lhe os instrumentos mentais para não caírem em extremos de confiança, às vezes demasiada, às vezes nenhuma. Um atleta tem a noção das suas capacidades e tenta ultrapassá-las, isso é o que se chama desporto. Temo que estamos a formar “assalariados” e não desportistas nos últimos tempos. A culpa não é só de quem forma, o mundo e os valores mercantilistas da sociedade pressionam demasiado, o dinheiro é tudo, os valores e a verdade não são nada.

Os meus parabéns sinceros aos profissionais que trabalharam e trabalham nas Academias do Sporting. Muito me orgulho que façam ser cada vez maior o meu clube: o Sporting.

Até breve

Miragens
















Primeiro Drenthe, depois Geovani dos Santos e ontem Pavliuchenko. Fico sempre com sorriso tipo Monalisa quando ouço e leio estas notícias. É bom? É. É possível? É. É provável? Não.

Não é por acaso que a pré-época é denominada como a “silly season” do futebol, são rumores como estes (Abola refere como iminente o empréstimo) que fazem as delícias das capas de jornais durante o Verão. Em boa verdade é como ter um anúncio de um perfume com um modelo qualquer ou com um Cloney. O nome e a imagem são como um “produto” aspiracional de consumo rápido.

Ficam para mais tarde as “desculpas”, não há dinheiro, não quer vir para Portugal, quer jogar na Champions, tem uma proposta de um clube turco, etc. Tudo se desfaz numa evaporação seca e com um sabor árido a torrões de pó. A miragem dura enquanto não surge uma nova.

Como já tenho uma boa vintena de “silly seasons” desde que sigo atentamente o Sporting, já tenho bons anti-corpos que rejeitam este tipo de informação viral. Sou realista mas não sou masoquista e deixo sempre uma margem de tolerância para os casos (muito poucos) em que a surpresa acontece.

Se quisermos olhar a questão por outro plano, podemos fazer o seguinte raciocínio: Qual foi a última contratação surpreendente do Sporting?

Até breve

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Contentamento táctico













Costinha está contente com o plantel actual. Dito parece verdade, mas existem verdades que não devem ser ditas e um bom director desportivo faz o que deve fazer. Neste caso "fechou" a porta a mais especulação sobre as entradas e as saídas de um plantel em construção. Eu e outros bloggers podemos especular o que nós quisermos, não temos responsabilidade e muito menos falamos para a imprensa. A nós cabe-nos a parte "divertida" da coisa, a ele cabe-lhe a gestão responsável de uma equipa de 40 e tal pessoas, são panoramas diferentes.

Dito isto, dou-lhe os meus parabéns, que servem para mostrar o meu agrado por uma faceta mais realista e inteligente de como se mantém os patamares de exigência altos em relação aos jogadores que, de facto, já fazem parte da equipa. O que é verdade hoje é mentira amanhã e só ganha quem sabe a verdade. Ganha tempo, ganha espaço e sobretudo ganha calma.

Depois desta lição, que depois de uma vitória sai ainda mais reforçada, convém alinhar "abordagens" com a imprensa com o treinador P.Sérgio para não dizerem coisas diferentes, mas projectarem apenas dois lados da mesma questão. Este alinhamento tem vantagem sobre o "bloco uno soviético" em que todos dizem a mesma coisa, desgastando o valor da mensagem. Até ver a táctica "bad cop - good cop" mata muitos coelhos de uma cajadada só: mantém-se a expectativa dada pelo treinador de reforçar a equipa (motiva-se o adepto) e fecha-se o diálogo especulativo de uma forma oficial (motiva-se a equipa). Todos ganham, excepto a imprensa e dessa não tenho memória de ajudar no que quer que seja.

Todos estes truques e subterfúgios não são eticamente muito correctos, mas no futebol de hoje, só o resultado interessa e ser "bonitinho" não traz vantagens. Mais do que ser inteligente, urge ser esperto e jogar o "campeonato da comunicação social" exige a criação de muitos "factos", implica muita ratice, algo que Costinha, JEB e P.Sérgio devem reflectir sempre em conjunto.

Para já nota 20 para o timing e conteúdo da comunicação de Costinha dada hoje sobre a definição do plantel.

Até breve

Roberto´s

O mundo caiu em cima do jovem guarda-redes do Benfica. Depois de uma transferência de valores consideráveis (por 8,5 milhões de euros existem guarda-redes muito bons no mercado) e uma apresentação feita pela imprensa em que só faltou dizer que era melhor que Casillas, a verdade é que o guardião espanhol tem tido a vida difícil nos jogos de preparação.

Vejo em Roberto alguns dos problemas que tem Rui Patrício, dificuldade na saída dos postes em bolas altas, "medo" dos centrais nos livres e cantos, alguma indecisão na hora de atacar as bolas perdidas. Sinceramente acho que são detalhes técnicos do jogo que se adquirem com muito trabalho e muitos jogos. Jogos que o jogador do Sporting tem tido, mas falta-lhe a auto-confiança que ninguém lhe pode ensinar a ter, as fraquezas defensivas expuseram demasiado Patrício e ele pagou uma factura elevada, que ainda não parece saldada.

Roberto não tem essa "karma" e começando de fresco noutro campeonato, noutra equipa, torna-se num problema mais complicado de explicar. Nervosismo, adaptação, haverá muitas explicações, mas todas elas serão poucas na hora de atribuir culpas pelos golos sofridos em competição. Não serão "pêras doces" os próximos jogos para ambos os jogadores o que se agrava quando as alternativas são menos convincentes.

Sporting e do Benfica têm ambos um problema, guarda-redes fragilizados nas bolas paradas. Cantos e livres são um sufoco constante. No caso do Sporting, é sabido que se procura mais um reforço que tome o lugar de Golas, Stojkovic até pode ficar, e paradoxalmente, é um guardião forte nesse aspecto do jogo.

No Benfica a margem para contratar um novo guarda-redes é muito pouca. Dispensou-se Quim, renovou-se com Moreira e Júlio César, que também foi uma escolha de Jorge Jesus e com tantos "tiros" disparados ficará extraordinariamente complexo de explicar o aparecimento de um novo número 1. Mas como os "milionários" da Luz tem dinheiro que nunca mais acaba, pode ser que haja uma surpresa até ao final de Agosto.

Para Patrício uma consolação, não está sozinho nesta próxima época. Aliás com a saída de Eduardo, escasseiam os guarda-redes seguros em clubes nacionais. Helton é um guarda-redes muito completo mas está longe de garantir mais segurança que os "lisboetas".

Até breve

domingo, 18 de julho de 2010

Leões para Lyon

Contra uma equipa sólida mas ainda sem "pernas", o Sporting rodou toda a equipa e a espaços conseguiu imprimir algumas mudanças de velocidade e perigosos contra-ataques. Nem tudo correu bem, as fragilidades defensivas estiveram bem evidentes no inicio da partida com Golas a ver franceses a rematar de todo o lado e sem oposição. Face ao caudal ofensivo dos "leoneses" o Sporting adaptou-se num recuo "duvidoso", algo a medo procurando corrigir os espaços que abria entre linhas.

Lentamente os jogadores leoninos foram ganhando confiança e no final da primeira parte o Sporting equilibrou definitivamente a partida. Até ao final da partida vimos alguns bons apontamentos de vários jogadores, mas o que se ressalva é a atitude de entrega ao jogo e a cada lance. Neste jogo tudo correu bem e com alguma sorte P.Sérgio ganha fôlego para mais uma fase da preparação.

Vamos aos leões:

Golas: Algo nervoso, atento. Com alguma sorte manteve a baliza inviolável. Deverá sair para dar lugar a um guarda-redes com mais experiência.

Tiago: Entrou já com o Lyon em queda de volume ofensivo. Mesmo assim uma boa defesa.

Patrício: Quase não foi posto à prova, esteve bem.

Abel: Seguro, ainda sem velocidade. Sentiu algumas dificuldades com bolas metidas entre si e o central. Com alguma persistência segurou os franceses do seu lado.

Pereira: Mais uma entrada a pés juntos...tem de controlar o seu ímpeto. Bom desempenho em triangulações, quando inventa perde vantagem.

Grimi: Trapalhão e pontapé para a frente, faça-se justiça bem a defender. Tentou subir o que é raro, pode ser que melhore com P.Sérgio a explicar-lhe como é que um lateral se movimenta.

Evaldo: Para mim a melhor contratação. Não sobe a qualquer custo, mas participa no ataque. Bem na defesa.

Torsiglieri: Parecia completamente perdido no inicio do jogo, mas está a adaptar-se a um jogo mais rápido e vai impondo o seu estilo devagar, veremos se tem o tempo que precisa.

Tonel: Primeiro golo do encontro num lance que é a sua especialidade. Levantou uma grande dúvida. Com 5 centrais parece o maior candidato à saída, deixou pelo menos o cartão de visita.

Polga: Anunciado capitão. Alguma surpresa. Bons passes nas costas dos laterais contrários. Parece seguro e estável ao contrário da última época. Juntamente com Carriço devem ser os titulares no inicio de época.

N.Coelho: A central é outra coisa. Seguro e poderoso fisicamente. Mostrou boa atitude.

P.Mendes: Está em forma, mas P.Sérgio optou por dar-lhe só um "cheiro" de bola. Segurou o centro do meio-campo com alguma dificuldade face à lentidão de Veloso.


Veloso: Ainda muito lento, deu para aquecer um pouco.

Maniche: Fez o lugar de patrão do meio-campo, mas ainda não tem poder para fazer o tal papel box-to-box. Boa partida mesmo assim com bom apoio aos médios ofensivos.

A.Santos: Este miúdo não engana. Vai dar luta pelo seu lugar no meio-campo.

A.Matias: Pouco tempo em campo para ser notado.

Valdez: Óptimos pormenores do chileno, parece que o Costinha apostou bem na sua aquisição. Com melhor forma física promete emparelhar bem com Fernnadez num ataque mais refinado.

Fernandez: Prometeu mais empenho esta época e para já mostrou uma atitude mais combativa. Talento tem e bastante magia para distribuir pelos colegas.

Vukcevic: A grande aposta de P.Sérgio tem aproveitado para se mostrar. Algo indefinida a sua posição, às vezes ala, outra descaído para o centro, ainda assim lento a distribuir mas muito combativo.Em forma deverá melhorar a sua certeza nos lances.

D.Salomão: Deverá ser emprestado, mas do mal o menos o seu nome será bem melhor cotado na escolha da equipa para jogar a próxima época. Bons detalhes e o passe para o golo de Djaló. Promete.


Djaló; Quase falhava o golo em frente ao guarda-redes, mas foi rápido na recarga e bateu o guardião francês. É rápido, muito, mas terá de ser mais assertivo nos lances.

C.Saleiro: Este avançado tem detalhes de grande jogador, mas a par de Postiga tem um grande problema, marca pouco o que é verdadeiramente uma pena.

Postiga: Esforçado, muito bem tecnicamente mas infeliz na procura do golo. Teve um bom remate a passe Saleiro. Espero que venham os golos para ver o verdadeiro Postiga esta época.

Pongolle: Mais presença, mais combatividade, mais alegria e empenho no jogo. Falta o resto, que ainda é muito, mesmo muito.

Liedson: Um par de minutos em campo e uma boa jogada e um remate, de facto o levezinho prova que quando se quer fazer a diferença em campo...fica mais fácil.

Depois disto mais treino, oxalá se confirmem os bons apontamentos deste jogo e se trabalhem as bolas paradas defensivas, venha o avançado, o guarda-redes e o extremo direito, esqueçam lá o central (temos 5)  e bem devagarinho e de mansinho talvez se veja bem futebol esta época com as camisolas verde às listas.

Até breve.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

O bom nome

Já aqui escrevi que o que uma instituição tem de mais sagrado é o seu bom nome, o seu reconhecimento como entidade honesta e cumpridora, responsável.

A notícia está por todo o lado, Evaldo pode ser "rebuscado" ao Sporting pelo Braga por falta de cumprimento dos prazos acordados para o pagamento da primeira parcela do acordo. Pior que a notícia é a ausência de um desmentido oficial por parte da direcção de JEB. Enquanto não surge e porque pode ser verdade, não deixa de me causar espanto e algum embaraço os problemas que o Sporting tem para cumprir o saldo de dívidas que voluntariamente contraiu. Primeiro foi o Atl.Madrid, depois o FCPorto e agora o Braga, todos parecem ter razões de queixa quanto ao pagamento de transferências, o que deixa de ser um caso pontual para se transformar em problema sistemático.

Isto muda tudo. Se perguntarem a qualquer adepto leonino se querem ter jogadores novos para ter este tipo de problemas associados, acho que a esmagadora maioria preferirá um onze de miúdos de 19 anos e a manutenção de uma imagem "limpa" e responsável.

Problemas de tesouraria todos têm e se for esse o caso, o presidente do Braga (calcula-se a origem da notícia) foi um pouco precipitado. Mas, a sucessão de artigos como os que hoje se escreveram e ouviram dana a instituição muito para além do seu departamento de contabilidade. É grave e deve ser evitado a qualquer custo, mesmo que custe uma "humildade" forçada por parte de quem falha os compromissos. Espero que não cheguemos ao cúmulo de ver jogadores devolvidos. Ninguém votou em JEB para ser um "novo" Vale e Azevedo e rumores como o de hoje podem acabar com a paciência de quem já tem muito pouca.

Espero que alguém no Sporting assuma alguma responsabilidade e resolva este assunto, de preferência sem mais episódios na imprensa. Isso ou um desmentido oficial. Uma ou outra, mas nunca como...agora...em que não temos nenhuma.

Até breve

Soltas

Nordsjaelland da Dinamarca é o adversário do Sporting na pré-eliminatória da Liga Europa, de entre os adversários possíveis (Slovan Bratislava, Maribor, Ruch Chorzow) é um dos mais acessíveis. O futebol dinamarquês é rico em equipas competitivas, altas e poderosas fisicamente, mas anulando bem os pontos fortes deste tipo de jogo linear e aéreo o Sporting não terá problemas em passar à fase de grupos.

Notícia do DN dá o ambiente do balneário do Sporting como tenso e insatisfeito com a falta de liberdade de expressão permitida por Costinha. A esses "insatisfeitos" só posso dizer "azarucho", não andassem na imprensa a dizer constantemente como e para onde gostariam de sair e talvez não fosse precisa nenhuma "rolha".

Manuel Fernandes é o amor bem antigo da imprensa, que o põe de verde e branco semana sim semana não, resta saber se é assim uma paixão tão intensa por parte do Sporting. O jogador pode até ser "barato" em valor de transferência, mas é exorbitantemente caro (salários) se virmos a performance do jogador nos últimos 3 anos.

Geovanni dos Santos é um mexicano com um talento fora do normal e é a par de Drenthe daqueles "sonhos" que só trazem frustração no final. Para quê adiantar nomes de jogadores que só por um alinhamento planetário incomum virão para o Sporting? Fica muito bem a foto nas capas dos jornais, mas haverá mais algo para além disso? Sinceramente acho que não e era bom que a Bola e o Record se deixassem de "contos infantis".

Até breve.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Final Casting

Depois das declarações no final do amigável com o PSG, ficamos a saber que P.Sérgio tem uma ideia para a equipa titular, o que é talvez a única coisa segura que saiu da conferência de imprensa. Ao contrário de outros bloggers, não culpo P.Sérgio pela fraca prestação da equipa nos jogos em França. Ao analisar o trabalho de P.Sérgio constato que muito pouco foi corrigido em relação aos problemas que afectaram a equipa no ano passado, mas também é verdade que muito pouco foi dado a este treinador em termos de novas soluções e no sentido inverso tem demasiados jogadores com a “inteligência emocional” de rastos.

É fácil de ver que Rui Patrício, Tonel, Polga, Grimi, Djaló, Saleiro e Postiga estão em níveis mínimos de auto-confiança, Vukcevic deveria servir de exemplo na forma como (às vezes exagerada) se aventura a fazer o que pensa que quer fazer e não se perder em hesitações que se pagam em criatividade, rapidez e surpresa no adversário.
Juntando-se a estes, jogadores como Golas, Owuso, A.Martins e Salomão não estão ainda no “ponto” para integrar uma equipa com as responsabilidades do Sporting. Se estes dois lotes parecem não garantir soluções para já, então que dizer de Grimi e Pongolle claramente os “patinhos feios” em termos técnicos.
Tiago e Abel estão sem rotinas de titular e quando somamos tudo isto temos uma equipa com uma óbvia carência de “talento imediato”.

Ficaremos à espera do sebastianismo dos jogadores que estiveram no Mundial, ou seja Liedson, Veloso, P.Mendes, Fernandez e talvez Stojkovic virão salvar a qualidade no plantel? É certo que todos eles serão titulares, mas não fazem uma equipa sozinhos.

Já tantas vezes escrevi neste blog e não me canso de repetir, não existe real alternativa a Patrício, Torsiglieri não resolveu ainda os problemas no centro da defesa, nas faixas Vukcevic e Valdez não vão resolver todos os problemas e no centro do ataque é preciso um avançado que renda golos efectivos, Postiga, Pongolle, Djaló e Saleiro sendo bons avançados não tiveram e continuam a não ter veia goleadora. A responsabilidade de marcar golos não pode depender nunca de apenas um jogador e Liedson estará naturalmente na curva descendente das suas capacidades físicas.

Leio nos jornais que o Sporting só contratará alguém se vender primeiro. Não é um mau princípio, mas quero ver se continuarmos a perder jogos (Lyon, Man City e Tottenham não são propriamente adversários fáceis) se JEB vai aguentar a queda vertiginosa da confiança dos adeptos. De facto esta desmotivação já se iniciou com as fracas prestações frente a Young Boys, Nice e PSG e não vale a pena culpar os adeptos por estarem demasiado exigentes. É que não dá para ver no que é que a próxima época vai ser diferente da última e esta é altura para fazer alterações. 

Derrotas, más exibições, conflitos, fugas de informação, indisciplina, demissões, rescisões, ofensas, de tudo isto os adeptos estão fartos e tardam a ser estancadas as “hemorragias”. Tarda a surgir um “NOVO SPORTING”, do que deu para ver até agora P.Sérgio, JEB e Costinha conseguiram apenas o” mesmo Sporting” com novas caras e equipamentos.

Até breve

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Fim de estágio

Acabou da pior forma o estágio do Sporting em França com uma derrota por 4-2 com o Paris SG. O treinador salientou que "ficou contente" com o resultado por este "ter posto a nú algumas lacunas da equipa". Esperei pelo final destes três jogos para poder fazer uma avaliação, não aos resultados, mas às mudanças se é que as houve no comportamento da equipa.

Atitude
É visível algum esforço por ter uma equipa mais aguerrida em campo, jogadores como Carriço, Maniche, J.Pereira, Postiga, Evaldo, Salomão e até o improvável Pongolle interpretam bem essa directiva, mas valha-nos Deus, Saleiro, Djaló, A.Martins, R.Patricio, Owuso não têm o "sangue" para essas andanças. Mesmo assim, no geral, ligeiras melhorias.

Técnica individual
Não foi uma carência da última época (exceptuando Grimi)mas pode ser nesta. Falta muita qualidade de recepção, passe e transporte de bola a esta equipa. Não será alheio o facto de, saindo Moutinho, não estarem Veloso, Mendes, Fernandez, Izmailov. Só A.Santos e Vukcevic não chega, jogadores como Djaló, Saleiro, Pongolle têm a obrigação de "tratar" melhor o esférico.

Fio de jogo
Zero, nada. Dizem os mais optimistas que com tantas ausências isso não é preocupante, mas eu estou de facto muito preocupado. Já lá vão 5 jogos, metade do tempo total de treino da pré-época e nada. O cunho de P.Sérgio no desdobramento e troca de bola da equipa é...banal e previsível. Não se vê criatividade, ligação, fantasia...é pressão e corrida. Não chega.

Bolas paradas
Ofensivamente é cedo para fazer análises. Não se detecta nenhum novo especialista o que quer dizer que Veloso e Fernandez serão os eleitos para marcar livres e cantos.
Defensivamente continuam os problemas da última época o que é inexplicável. Uma equipa que sofre 2 golos iguais em pontapés de canto no mesmo jogo só pode estar a fazer algo de muito errado.

Recuperação de bola
Se existem pontos onde a equipa melhorou claramente, este é um deles. Bem melhor. Vai custar muito empenho e preparação física, mas honra lhe seja feita, P.Sérgio pôs os jogadores a correr mais atrás dos condutores de jogo adversário. Quando soubermos o que fazer com a bola depois de a recuperarmos, seremos de facto perigosos.

Preparação física
É cedo para aferir da preparação aeróbica e atlética dos jogadores, mas parece que à excepção de Maniche (vai levar mais tempo que os outros) a maioria dos jogadores parecem preparados para bons desempenho neste sector. Postiga e Pongolle parecem outros, com capacidade para correr e lutar pela bola.

Resumindo, estou sinceramente apreensivo e (demasiado) expectante em relação aos possíveis reforços. Parece-me complicado lutar por títulos sem pelo menos mais um bom guarda-redes, um extremo e um avançado. Isto porque Patrício continua trapalhão, Izmailov estará lesionado, Djaló continua a adiar as boas exibições, Pongolle continua azarado, Postiga continua sem marcar, enfim...5 jogos depois poucas alegrias e exceptuando Evaldo, A.Santos e Valdez muito pouco para criar alguma ilusão. Falando, sem estar mandatado, em nome dos adeptos, precisamos de algo mais para poder acreditar nesta equipa.

Até breve

Rebajas


Vender jogadores quando se termina uma época tão miserável como a que o Sporting realizou além de desaconselhável é sem dúvida uma prática que pode ser apelidada como venda “em baixa”.

Jogadores com potencial para serem cobiçados por 15/20 milhões de euros vêm o seu valor de transferência cair para os 7/10 milhões. São as circunstâncias de mercado.

O Sporting quer reformular a sua equipa e para isso ter alguma expressão, terá de vender sempre. Mas a questão é pertinente, valerá a pena vender agora algum jogador que com uma boa época se valorize 40 ou 50% ?

Djaló é um óptimo exemplo desta dúvida. O jogador será vendido por uma verba que ronde os 8 milhões, mas depois de brilhar numa época a titular, poderá valer o dobro. O problema é que com contratações de jogadores para o seu lugar, a titularidade fica mais distante e a jogar a espaços fica difícil a algum jogador tornar-se cobiçado.

Solução? Emprestar o jogador com uma elevada opção de compra a um clube com saúde financeira para o contratar. Não é novidade, mas funciona. Que o digam Grimi e Romagnolli. Valoriza-se o jogador e prepara-se um bom encaixe financeiro.

No caso do Sporting só não está a ser aplicada esta medida, porque, e entende-se, JEB e Costinha precisam de um encaixe imediato, mas lá está, a que preço? Quem tem pressa para vender fá-lo por muito menos do que poderia realizar com tempo, e tempo é tudo o que o Sporting não tem. Muito menos o Paulo Sérgio.

Até breve

Sporting - Paris SG (Antevisão)











Mais um jogo de preparação. O Paris SG é um adversário de respeito e os jogadores leoninos vão ter de ter uma atitude mais assertiva realizando um jogo muito mais ligado. Bom teste à produtividade da equipa face a um adversário de igual ou aproximada ambição e estatuto.

Em destaque:

Valdez, um motivo extra para ver o jogo, um pequeno detalhe no ultimo jogo deixa adivinhar muita coisa.
Salomão, mais uma oportunidade para medir o talento do jogador.
Djaló, para "inglês" ver?

Até breve

terça-feira, 13 de julho de 2010

Crise...Qual crise?

"...A Federação Portuguesa de Futebol deverá ter um prejuízo superior a 1 milhão de euros quando fechar a contabilidade referente à presença da Seleção Nacional no Mundial da África do Sul. O prémio de 7,2 milhões de euros que vai receber da FIFA por ter atingido os oitavos-de-final não chega para cobrir os custos da preparação da equipa e os prémios negociados com a equipa técnica e jogadores."

Sinceramente não sei se é para rir ou para chorar, mas parece-me que para o país que temos alguém anda a gozar com 10 milhões de portugueses. Para a próxima campanha não me importo de ir com a Selecção arrumar e limpar chuteiras. Pelos vistos até o roupeiro deve ter ganho uns bons milhares de euros (muitos ao que consta). Ganhe ou não, isso não interessa para nada, o que interessa é gastar.

O que dirão a Eslovénia, as Honduras ou a Nova Zelândia que nem passaram da fase de grupos. Devem ter perdido imenso dinheiro e estarão já a pensar em nem sequer participar na próxima fase de qualificação. A UEFA e a FIFA sendo as "virgens metediças" que nos habituaram noutros assuntos permitem estas "liberdades" orçamentais? Não estará em causa o respeito pela competição e o bom nome de quem faz reverter tantas receitas a favor da evolução do desporto?

Até breve

Entre o Sporting e a Juventus?
















As notícias dão conta de como a Drenthe se vai colocar a escolha entre o empréstimo do Real Madrid ao Sporting e à Juventus. Pois...

Não questionem o meu Sportinguismo, mas penso que para o Holandês será fácil a escolha e só uma "viva" recomendação de Mourinho aliada à diferença de clima entre Turim e Lisboa podem fazer pender a balança para o nosso lado. Para tal precisam de acontecer duas coisas: Drenthe seguir Mourinho com uma paixão "quase religiosa" ou então gostar mais de sol do que de dinheiro. Acho que o Sporting é um bom clube, mas ainda não estará nas condições de disputar (em igualdade de circunstâncias) jogadores com a Vecchia Signora.

Destes casos improváveis só me lembro de um e cada vez que penso nisso ainda sinto comichão nos neurónios. Peter Schmeichell, campeão inglês, campeão europeu em clubes e em selecções decidiu do alto dos seus trinta e tal anos (o auge da capacidade de guarda-redes) vir passar umas férias prolongadas a Cascais e vestir a camisola verde às listas. Jogava quando achava que estava bom tempo e mesmo assim brilhou em muitos jogos.

Não sei o que Drenthe poderá ter de comum com o dinamarquês, em tudo me parece o verdadeiro oposto (idade, títulos, carreira, posição) mas se acabar por por os pés no aeroporto da Portela serei o primeiro a acrescentar a figurinha de Costinha no meu presépio do próximo Natal.

Por falar em Natal, só mesmo acreditando no Pai Natal é que Geovanni faria uma boa época em qualquer clube da Europa que lute por títulos, a não ser que custe zero vírgula zero euros e entre em campo aos 88 minutos de jogo. Mas Mantorras só há um e no Sporting não quero nenhum.

Até breve

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Movimentações

Ontem ao ver o empate entre Nice e Sporting foi fácil entender que a pré-época desenhada por P.Sérgio vai ter um nível acrescentado de dificuldade: a extensão do plantel e de soluções. O treinador viu e nós também que existem jogadores muito longe de garantir o cumprimento das novas estratégias que ele deseja e não sendo verdadeiras soluções será difícil dar o andamento colectivo aos restantes.

Existem demasiados jogadores para as mesmas funções e ausência de qualidade para alguns lugares chave o que pode só vir a ter solução com a pré-época no seu termo. Isso é preocupante e já foi manifestada alguma "pressa" para que tanto as contratações como os "mundialistas" se juntem rapidamente ao plantel. Os próximos jogos envolverão o prestigio do clube e com o actual leque de soluções o Sporting não poderá "jogar" de igual para igual, corre evidente risco de ser derrotado e jogar porta fora o crescendo anímico e exibicional planeado para o defeso.

Palavra para JEB e Costinha na missão de garantir as "mais valias" com que se construirá a imagem exterior do plantel. A definição de saídas está também dependente destes processos e jogadores como Owuso, Matias ou Salomão não estão, para já, a ser as alternativas desejadas. Izmailov deverá falhar a restante pré-época o que retira mais um argumento de peso na definição das alas, para onde Valdez terá precipitadamente de começar a render.

São muitas incógnitas para tantas semanas de preparação que já passaram. O futuro exigirá uma aceleração de definições, esperemos que não precipitadas.

Até breve

domingo, 11 de julho de 2010

Antevisão Nice - Sporting











Mais uma oportunidade de ver em campo a equipa e matar saudades de bola. Em principio será difícil assistir a muito mais do que os jogadores do Sporting fizeram na sexta-feira. O adversário está bem contado, um clube de meia tabela da 1ª liga francesa deverá oferecer a Paulo Sérgio uma visão melhorada das carências da equipa.

Em destaque:
Valdez, será a estreia do mais recente reforço.
D.Salomão, para continuar as boas indicações?
Djaló, boa dinâmica e velocidade para ir ganhando um lugar a titular.

Até breve.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Sem ti não há campeões?

A campanha está bem feita. Muito emocional e realiza muito bem o apelo à compra do produtos, disfarçando elegantemente que o mesmo não tem (ainda) uma perspectiva muito razoável de ser cumprida. Se o estádio estiver cheio em todos os jogos ou se todas as Gamebox forem vendidas, isso não fará do Sporting imediatamente campeão. Ajuda, mas não chega.

A minha reflexão sobre os anúncios que para já contam com Acosta e César Prates não tem a ver com veracidade do copy da campanha, mas sim com o facto de se ir buscar uma memória recente de glória para sustentar o argumento de “repetição de circunstâncias”. Aqui a lógica de marketing, de que esta campanha é só um reflexo, falha redondamente.

Dizer “podemos ser o que fomos outrora” é uma banalidade e pior, é uma recusa para entender o fenómeno (não a indústria, essa JEB entende bem) de massas emotivas que é o futebol. Já não é a era do “amor à camisola” para os jogadores, mas é e de que maneira para os adeptos. Sempre será. Um clube grande tem adeptos habituados a vencer e as direcções terão sempre de viver bem com isso. Mas teremos de ir ao passado para nos inspirarmos para sucessos futuros?

Não teremos essa força neste momento? Ou vendo a questão por outro prisma, é tudo uma questão de fé? Não teremos dados concretos para acreditar? Quererá a cúpula directiva a dizer “acreditem, mesmo que saibam que não temos equipa para tal”? Espero que não, espero que seja só um reflexo publicitário e que Costinha e JEB estejam convictamente a dar a Paulo Sérgio tudo o que podem, sem reservas. Acreditando eles também.

Ponham Valdez, Maniche e Torsiglieri a motivar os adeptos. Em campo, de preferência, e não em anúncios.

Até breve

Young Boys - Sporting (Antevisão)














Ao final da tarde teremos a oportunidade de constatar como vai a tão afamada “assimilação de processos” da equipa de Paulo Sérgio. Não será a equipa titular, faltam Liedson, Veloso, Fernandez, Stojkovic, Mendes de férias, Izmailov está condicionado e Valdez ainda não chegou. Sabe-se que Costinha procura ainda mais um extremo e um ponta-de-lança (Djalo pode sair) ao que juntará mais um médio de Veloso também sair.
De qualquer forma será uma boa oportunidade para ver em acção Evaldo, Torsiglieri, N.A. Coelho, A.Santos, Maniche e o mais recente “talento” Salomão. Não irá ser um jogo muito rápido e repleto de ocasiões, mas ainda sim é a primeira partida da temporada.

Em destaque:
Salomão, parece que promete este rapaz.
Postiga, por incrível que pareça o tão cabisbaixo avançado da última época está com a pontaria afinada nesta pré-época.
Torsiglieri, surgem muitos relatos da dificuldade que o argentino está a ter para encaixar mas movimentações desejadas por P.Sérgio, veremos em campo como se sai.
Flanco esquerdo, com Evado e talvez durante alguns minutos Vukcevic, este lado do onze estará mais equilibrado do que na última época onde só o flanco direito atacava (Izmailov+J.Pereira).

Até breve.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Corrida aos saldos













O Génova acaba de dar o tiro de partida para a corrida a Miguel Veloso. Na competição estará também Milan, Juventus, Inter e o ex-Inter José Mourinho que parece gostar das qualidades do jogador. Após tantos "ameaços" e sondagens, o clube genovês que estará na Liga dos Campões na próxima época, deu o primeiro sinal ao ter proposto 5 milhões mais o passe do médio espanhol Zapater, que terá sido recusado pela SAD leonina. Depois da "brincadeira" e entendendo que o Costinha e P.Sérgio não estariam interessados em nenhum dos excedentários do clube italiano, surge uma 2ª abordagem, ao que parece fizeram já uma proposta de 8,5 milhões.

Será ainda pouco para os 16/17 exigidos pelo Sporting. Esta abordagem do Génova parece ter acordado o mercado e surgem rumores ainda pouco verosímeis de que Mourinho emprestará Drenthe sem custos ou uma percentagem do passe atleta mais uma verba que rondará os 9 milhões de euros pelo passe do atleta que foi defesa central, depois trinco, lateral esquerdo e médio esquerdo...Miguel Veloso.

Interessante a estratégia do Génova ao comunicar uma compra dupla de Veloso e Amorim do Benfica, tipo plano A e plano B, sem se saber quem é o quê. Pelos valores que comprou Eduardo (4.5M) sinto que pode acabar por ficar de mãos a abanar e funcionar apenas como "lebre" de outros negócios, talvez até mais avançados. Mas isto é apenas mais um palpite.

Espero que depois dos "saldos" que oferecemos ao FC Porto, espero bem que façamos a vida difícil aos interessados no passe do internacional português. A vender que seja bem lucrativo.

Até breve